Marca do Crea-PR para impressão
Disponível em <https://www.crea-pr.org.br/ws/arquivos/2082>.
Acesso em 09/04/2020 às 23h12.

Paraná Futuro e gargalos da produção agrícola debatidos em Foz do Iguaçu

20 de maio de 2013, às 15h00 - Tempo de leitura aproximado: 1 minuto

alt

Dando continuidade à programação de segunda-feira do 8˚ Congresso Estadual de Profissionais (CEP), o assessor de assuntos estratégicos do CREA-PR, engenheiro civil Luiz Carlos Correa Soares, apresentou a proposta do Paraná Futuro, que traça um desenho do desenvolvimento socioeconômico do Paraná a partir da visão específica da engenharia. 

“A ferramenta servirá de base para análises, diagnósticos e formulações de propostas do CREA-PR para ações de desenvolvimento estadual, considerando o uso dos recursos naturais do Paraná e de suas potencialidades”, disse Soares.
Segundo ele, a demanda se deve ao fato do Brasil e do Paraná não possuírem projetos efetivos de rumo e destino. “Este estudo é pautado no desenvolvimento, sustentabilidade, identidade estadual e nacional e respeito à diversidade sociocultural e serve de base para projetos e atividades de entidades de classe, instituições de ensino, governos, órgãos públicos, empresas e da sociedade em geral”, concluiu, informando que o modelo final será entregue aos candidatos ao Governo do Paraná em 2014.

Cenário da produção agrícola –

Em seguida, o conselheiro do CREA-PR e assessor do Sistema Ocepar, engenheiro agrônomo Robson Leandro Maffioletti, exibiu os cenários da produção agrícola e perspectivas de crescimento nacional. De acordo com ele, a previsão otimista de produção brasileira de soja em 2022 é de 280 milhões de toneladas em 61 milhões de hectares.

Maffioletti falou ainda sobre o desafio de reduzir gargalos da economia brasileira, em especial no que diz respeito ao escoamento da produção agrícola. “Hoje 60% da nossa safra é transportada via modal rodoviário, com altas taxas que impactam severamente no cotidiano do produtor, cerca de 5% do custo da produção. Essa discussão nos interessa sobremaneira, uma vez que as cooperativas são paranaenses, daqui não saem e geram renda para o Paraná”, encerrou, informando que o tema integra a pauta do Fórum Permanente Futuro 10 Paraná (do qual fazem parte o Sistema Ocepar e o CREA-PR), que estabelece prioridades para o desenvolvimento do Estado.

Por Daniela Licht. Fotos: Silvio Vera

alt

 

 


Comentários

Nenhum comentário.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *