Marca do Crea-PR para impressão
Disponível em <https://www.crea-pr.org.br/ws/arquivos/23036>.
Acesso em 12/07/2020 às 03h59.

Ensino superior das engenharias, agronomia e geociências impulsiona debates entre Presidentes dos Creas

9 de maio de 2019, às 23h21 - Tempo de leitura aproximado: 2 minutos

Neste segundo dia (09) da reunião do Colégio de Presidentes de Creas, que acontece em Palmas (TO), os trabalhos começaram com os informes dos conselheiros federais que coordenam as comissões do Confea: de Assuntos Institucionais (Cais), de Ética e Exercício Profissional (Ceep), Normas e Procedimentos (Conp), Eleitoral (CEF), de Controle e Sustentabilidade do Sistema (CCSS) e Comissão de Educação e Atribuição Profissional (CEAP), com a apresentação realizada pelo seu coordenador, o paranaense Conselheiro Federal Engenheiro Agrônomo Luiz Antonio Corrêa Lucchesi.

Após as apresentações, entre os temas debatidos nas pautas, a homologação de cursos – uma das atividades do Sistema Confea/Crea – e o ensino a distância (EaD) deram continuidade aos debates iniciados no primeiro dia da reunião, servindo como base para as sugestões de ações pelos participantes. O Presidente do Crea-PR, Engenheiro Civl Ricardo Rocha de Oliveira, sugere a “criação de uma diretriz unificada de análise, avaliação e fiscalização dos cursos pelos Creas”. Além dele, outros Presidentes fizeram manifestações favoráveis ao debate que o Presidente do Confea, Engenheiro Civil Joel Krüger, vem defendendo.

Porém, com relação ao Ensino a Distância (EaD) nos cursos superiores de Engenharia, Agronomia e Geociências há opiniões divergentes entre os presidentes regionais dos Creas. Diante da situação, o Presidente do Confea sugere que o Colegiado discuta e faça uma proposta oficial para ser levada ao Ministério da Educação sobre o tema. A proposta deve tratar de questões sobre como devem ser os cursos, se inteiramente a distância ou com uma porcentagem pode ser definida; que disciplinas podem ser ensinadas a distância e quais exigem a presença dos alunos; entre outras. Essas perguntas devem ser respondidas pelos Creas e o assunto deverá permanecer na pauta de discussões e desenvolvimento dos Presidentes dos Conselhos Regionais.

Outros temas debatidos no dia foram a Resolução 1.114, de 2019, que trata do Regulamento Eleitoral para as eleições de presidentes do Confea, dos Creas e de conselheiros federais, com sugestões para nova sistematização das eleições e criação de Grupos de Trabalho para criar e propor soluções tecnológicas. Além desse, a Lei 12.813/2013, que trata do conflito de interesses no exercício de cargo ou emprego de funcionários do Poder Executivo, aos quais é vedado prestar serviços, ainda que eventuais, à empresa cuja atividade seja controlada, fiscalizada ou regulada pelo órgão ao qual o funcionário está vinculado. Ambos renderam propostas para continuar na pauta do Colégio de Presidentes, que se reúne novamente em junho, em Aracaju – SE. Outro tema tratado foi a formulação de projetos a serem enviados ao Confea para a distribuição dos recursos aos Creas. Sobre o assunto, o superintendente de Integração do Confea, Engenheiro Eletricista Reynaldo Barros, participou da reunião para esclarecimentos.

Com informações da assessoria do Confea.


Comentários

Nenhum comentário.

Deixe um comentário

Comentários com palavras de baixo calão ou que difamem a imagem do Conselho não serão aceitos.

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *