Marca do Crea-PR para impressão
https://www.crea-pr.org.br/ws/arquivos/25339

O 1° Hackathon do Sistema começou! Confira a cobertura ao vivo.

18 de agosto de 2019, às 8h29


Matéria atualizada às 13:30 de 18/08


O 1° Hackaton do Sistema começou hoje (17), em Maringá. Com representantes de 30 cidades do país, a competição organizada pelo Crea-PR e Aprogeo-PR (Associação Profissional dos Geógrafos do Paraná), em parceria com a Unicesumar, terá a duração de 30 horas ininterruptas.

Fiscalização Inovadora, Sociedade Segura, um tema que com certeza atiçará  a curiosidade dos participantes”, comenta o Presidente do Crea-PR, Eng. Civ. Ricardo Rocha. Segundo o Engenheiro, a ideia surgiu da busca por processos mais ágeis e soluções inovadoras com foco na elevação da produtividade e segurança da população. “Essa quantidade de pessoas com diferentes mindsets vai transformar Maringá num centro de inovação para as Engenharias, Agronomias e Geociências. A intenção do Conselho com este evento é de buscar soluções para uma fiscalização inovadora, ágil e que traga segurança para a sociedade”, pontuou o Presidente Ricardo durante a abertura do evento.

As 13 equipes presentes, com mais de 69 participantes no total, terão até às 5 horas da manhã de domingo (18) para pensar soluções e concorrer aos prêmios de até R$ 9,5 mil. O Hackathon do Sistema, primeiro promovido pelo sistema Confea/Crea em todo o país, também marca os 85 anos do Crea-PR, celebrado em 11 de junho.

 

Iniciando as palestras, a Gerente do Departamento de Fiscalização do Crea-PR, Eng. Amb. Mariana Maranhão, apresentou os três problemas que os participantes terão que solucionar. “Após uma pesquisa dentro do nosso setor, identificamos alguns problemas que atrasam diversos de nossos processos, e com a criação deste evento, tivemos a ideia de colocá-los em debate neste evento. São eles: o Planejamento de Fiscalização, que é um processo bem manual realizado pelos fiscais; Identificação de Responsáveis, muitas vezes não conseguimos atuar com nossa fiscalização por falta de saber quem é o ‘dono’ do serviço; e o Controle e Atendimento, que são processos que por vezes acabam sendo feitos de maneira duplicada por nossos colaboradores, graças a quantidade de sistemas que temos. A partir disso, eles poderão escolher um deles para desenvolver”, comenta Mariana.

Esses projetos devem apresentar soluções com uso de tecnologias como: inteligência artificial, automação, processo eletrônico, plataformas transacionais, robôs de automação, internet das coisas, trabalho colaborativo, big data, realidades virtual e aumentada.

Posterior a apresentação da Gerente de Fiscalização, o fundador da EmpreendLAB, Daniel Moscardo, incentivou os presentes com sua palestra sobre Marketing e Inovação, tentando trazer aos participantes ideias de como pensar o mercado de forma diferente e como se reciclar. “Façam coisas diferentes, sejam inovadores! Trago algumas dicas do próprio Google antes de vocês começarem, para talvez inspira-los: compartilhem tudo! Dados são o combustível, mas a imaginação é a faísca. Tenha uma missão que importa. Pense grande, comece pequeno. E, a mais importante na minha visão, erre rápido, erre melhor!”, enfatiza Moscardo ao final de sua fala.

Após as duas apresentações, deu-se início a primeira parte das oficinas de Insights, momentos focados em abrir a mente dos participantes com palestras sobre: Identificação de Problemas, com Soraia Novaes (Fundadora do Desafio do Código); Fiscalização Sob a Ótica do Crea, com Bruno Takemura e Henrique Hiracawa (Fiscais do Crea); Trabalhando a Geo Fiscalização com APIs da HERE “Maps”, com Melaine Ribeiro e José Carlos Bonini; Design Thinking, com Luiz Ricardo (Fundador da Educar em Rede); Importância da Fiscalização para a Sociedade, com Rosane Scapin e Manoel Moreira (Fiscais do Crea); Transformando Problemas em Negócios, com Claudinei Santos (Mentor Fomenta Vale Assis); e Design Spirit, com Daniel Moscardo (Fundador EmpreendLAB).

“Quando você tem um olhar externo sobre algo que não é do seu mundo e você consegue transmitir para um nicho específico, isso muda a visão de quem está lá. A nossa intenção é essa. Com esses Insights tentaremos trazer esse pessoal de fora do Sistema para dentro dele, assim eles poderão nos apresentar soluções para alguns de nossos problemas. Tenho certeza que abordar um tema tão complexo como esse (fiscalização), junto desse pessoal mais jovem, que nunca teve contato com o Sistema, com certeza trará bons frutos ao Conselho e a sociedade”, comenta o coordenador do evento e Presidente da AproGeo-PR, Geo. Jorge Campelo.

Insights

 

Fiscalização Sob a Ótica do Crea

Henrique HiracawaExplicamos como é feita a fiscalização do conselho e quais são obrigações do Crea-PR como órgão regulador das modalidades afetas ao Sistema Confea/Crea. Abordamos como é o trabalho nas construções civis, nas industrias, nas culturas agrícolas e as demais atividades do Crea. Também falamos para os presentes sobre a logística da fiscalização, como ela é planejada e a explicação de como funciona as nossas ferramentas de fiscalização, o TabFisc e o WebFisc.

 

 

Trabalhando a Geo Fiscalização com APIs da HERE Technologies

Melaine Ribeiro e José Carlos Bonini – “Foram apresentadas as potencialidades das Soluções de Localização aqui da HERE. Falamos das possibilidades de saber onde estão em tempo real os fiscais, as obras, os terrenos, os maquinários, etc. Tudo isso com as APIs da HERE Technologies. Foi também apresentado o portal de desenvolvedores da HERE, que conta com toda a documentação referente a mais de 20 APIs, bem como exemplos de uso da plataforma, o blog, e como fazer a migração de outras soluções para as da HERE.

 

 

Design Thinking

Luiz Ricardo – Tentei passar que o conceito do Design Thinking tem como abordagem a solução de problemas complexos. Comentei sobre as principais áreas que adotamos este método de trabalho e, a partir de alguns exemplos, debatemos como eles podem organizar as informações que eles possuem, utilizando dos seus devidos processos visuais, auxiliando na execução do projeto. O ponto chave da palestra foi mostrar que o Design Thinking pensa a princípio nas pessoas, sendo muito mais uma questão de empatia, tratando a tecnologia como consequência de todo este processo.

 

 

Importância da Fiscalização para a Sociedade

Rosane Scapin  Focamos em apresentar qual a importância do Conselho perante a sociedade, mostramos todos os mecanismos de resguardo que temos para com a população. Resumindo: abordamos o Crea como um todo, dando um panorama geral do que ele é, o que fiscaliza, o que não fiscaliza, suas atividades dentro das Engenharias, Agronomia e Geociências, enfim, tudo sobre o que é o Conselho. 

 

 

Identificação de Problemas 

Soraia Novaes – Trabalhamos cases de pessoas comuns, com inovações distintas, que criaram soluções que impactam a vida das pessoas e o que essas pessoas têm em comum. Com isso, tentei mostrar para os presentes que qualquer pessoa com curiosidade tem informações para “hackear o sistema”, basta querer. Além dos cases, abordei quais perguntas eles precisam se fazer para elaborar um problema e resolvê-lo, para isso, eles apresentei uma ferramenta ótima para isso: o Diamante de Ideias, programa que faz um ranking de prioridades de um projeto, mostrando possibilidades de solução e o nível de impacto delas no público.

Pitch Mindset

Maria Alessandra Dubowski Nascimento – Durante a palestra abordei dois tipos de mentalidades, ambas baseadas nos estudos da psicóloga Carol Dweck, no intuito de introduzir um conceito resumido de pitch para os presentes. Após esta breve introdução do tema, utilizei uma ferramenta chamada mentimeter – um aplicativo colaborativo de metodologia ativa – que serviu para criar uma nuvem de palavras com os saberes de cada um dos participantes sobre o que eles entendem por Pitch. Com essa nuvem pronta (imagem abaixo), expliquei para eles cada uma das palavras presentes nela e como podem ser aplicadas a seus discursos.

Na parte final da palestra busquei mostrar os passos para a construção de um Pitch e expliquei sobre a postura do apresentador do grupo, como ele deve se portar para os jurados e etc. Apresentei também o modelo de slide do Hackathon do Sistema, para todos padronizem suas apresentações.

 

 

 

 

Transformando Problemas em Negócios 

Claudinei Santos – Neste momento da maratona eles já estão com os projetos em andamento e bem encaminhados, com seus problemas já bem definidos. Pensando nisso, busquei fazer com que eles pegassem essa problemática que escolheram e a tratassem não só como um problema, mas sim algo viável para o mercado. Enfatizei que tudo que eles estão fazendo nestas 30 horas será direcionado a pessoas, os clientes deles são pessoas. O grande desafio de um produto é montá-lo pensando no público que o utilizará, para que o mesmo tenha continuidade, e é nisso que tentei ajudá-los neste Insight.

Design Spirit 

Daniel Moscardo Apresentei durante este Insight uma definição rápida do Design Spirit, que nada mais é que um processo de 5 dias, com 8 horas de trabalho diárias, com a intenção de juntar pessoas chaves de um processo criativo dentro de uma equipe para, ao final dessas 40 horas, criar um protótipo de um produto. Com isto elucidado aos participantes, pude mostrar a eles a importância deste procedimento na hora de ganhar velocidade no lançamento de um produto, o que é essencial na indústria de hoje que está constantemente se renovando.

Apresentações 

Após uma madrugada dedicada a programação das soluções e a preparação do Pitch, os grupos foram sorteados pela equipe organizadora para as apresentações que ocorrem daqui a pouco, às 08:45.

Segue a ordem dos grupos:

1 Safir
2 FGsmartech
3 Winners
4 EufraimBit
5 Manada Team
6 UniDev
7 FDLK
8 Kron
9 NineLAB
10 Pedreiros do Software
11 RCMW
12 DeathStar
13 FG HighTech

Palestra – A importância de colaborar e inovar

Soraia Novaes (Fundadora do Desafio do Código) e Daniel Moscardo (Fundador EmpreendLAB)

Antes das apresentações das equipes, os palestrantes Daniel e Soraia realizaram uma fala de motivação para os presentes mostrando um pouco da trajetória de suas empresas. “A Desafio do Código, nasceu aqui, em Maringá, e veio de uma inquietação nossa em querer mudar a forma de ver a educação, mudar a forma que as pessoas aprendem, tudo através da inovação. Com muita insistência, conseguimos, e hoje estamos aplicando este conceito em vários locais do mundo”, comenta Soraia.

 

 

“Como comentei ontem em minha palestra de abertura: compartilhem! Essa é a maior dádiva que o ser-humano tem, o poder de compartilhar, de compartilhar conhecimento, compartilhar ideias, isso é essencial. A EmpreeLAB começou assim, com a ideia de fazer uma inovação colaborativa, iniciando lá atrás, com a EmpreeCasa. Na época tínhamos pouco espaço, pouca estrutura, mas estávamos cercados de pessoas querendo o novo, querendo mais. Hoje, queremos expandir nosso negócio para todos os estados do Brasil, graças a esses anos crescendo através da troca de conhecimento. Façam o que está ao alcance de vocês!” enfatiza Daniel ao final da palestra.

PITCHs

Equipe Safir – Crea Ágil 

Aplicativo que visa agilizar a conversa entre o fiscal e o fiscalizado, através do preenchimento de dados por parte próprio Engenheiro responsável pela obra. Neste produto, o Fiscal faria somente a primeira fiscalização e o Engenheiro iria alimentando o aplicativo conforme o andar da obra, diminuindo custos e otimizando o tempo do Crea e do profissional.

 

 

FG SmartTech – Eu Fiscal 

Aplicativo focando na implementação de uma plataforma dinâmica de autofiscalização, onde o intuito é a diminuição de custos entre as fiscalizações, agilizando também a realização das mesmas. Assim como o Crea Ágil, o Eu Fiscal objetiva uma fiscalização à distância a partir da segunda e terceira vez, com o Engenheiro responsável alimentando o sistema com informações da obra, criando um histórico de ARTs e etc.

 

 

 

Winners 

A Winners apresentou um processo que visa vincular, de uma maneira mais assertiva, o  Engenheiro a uma obra que ele assinou, evitando o procedimento corriqueiro do profissional que assina a obra e não ter mais ciência de seu andamento. Com este aplicativo, o responsável pela obra estaria obrigado a anexar arquivos periodicamente referentes à obra ou serviço, como fotos do processo, ARTs, cronograma e etc.

 

 

EufraimBit 

A equipe mostrou um site responsivo, chamado AUD Crea, que visa otimizar o tempo dos fiscais através da aglutinação de dados de licitações. Essa reunião de dados é feita por um robô que lê diversos sites de prefeituras e unifica as informações referentes aos processos licitatórios em um único local. Este processo é feito atualmente de maneira manual pelos Agentes Fiscais, onde os colaboradores tem que garimpar uma grande quantidade de dados, fazendo com que a fiscalização se torne menos eficiente.

 

Manada Team 

Com o App Fiscalizze, a equipe planejou organizar o trabalho feito pelos Agentes Fiscais, auxiliando na organização de dados, na diminuição de procedimentos repetidos e na resolução de processos complexos dentro da rotina de trabalho. A solução integra todos os aplicativos utilizados pelo Crea em um só lugar, sendo responsivo para Mobile, Web e Desktop, dando a possibilidade de um serviço ser iniciado pelo mobile e terminado num desktop.A proposta também conta com o mapeamento das ocorrências, através de um mapa interativo, onde há o controle de localização dos locais atuados. Neste aplicativo, os locais ficam salvos com rota e demais dados, havendo uma organização de rotinas fiscalização, resultando em uma redução do tempo de deslocamento.

 

Unidev 

O BuscaFis propõe uma busca otimizada dos processos realizados pelos fiscais, gerando assim um padrão de pesquisa. Essa rede de pesquisa seria integrada ao APP do Crea, contendo localização, histórico, validação visual e notificações ao fiscal (quando uma ART vence, por exemplo). Neste projeto, o Agente Fiscal tem um campo onde ele filtra estabelecimentos e regiões, mostrando quais foram e não foram visitados pelo profissional na cidade, conseguindo mapear as que estão no banco do Crea e as que não estão.

 

 

FDLK 

A FDLK propôs que seja feito um cadastro dos protocolos através de um QR Code, contendo tempo, histórico de dados e informações da obra, tudo isso dentro de um único QR Code gerado no momento do pagamento da ART. Esse QR facilitaria o trabalho do fiscal ao ir para uma obra que não tem Engenheiro no ato da fiscalização, podendo os dados serem consultados através deste QR, evitando o deslocamento desnecessário de profissionais e Fiscais.

 

Kron 

O QR Fiscal apresentado pelo grupo tem um proposito parecido com a proposta da FDLK, onde é feito um cadastro dos protocolos através de um QR Code acessível. Com esse histórico de dados e informações da obra, o Engenheiro pega estes dados dispersos, os agrupa, e coloca dentro do QR da obra.

 

Nine LAB

Não compareceu

 

Pedreiros do Software  

O objetivo da apresentação foi mostrar uma nova arquitetura para o TABFisc, reescrevendo os dados do Sistema, apresentando uma versão mais clean e otimizada do app que o Conselho já tem, otimizando o grande tempo gasto pelos fiscais na utilização desta ferramenta.

 

 

 

 

RCMW 

A solução apesentada pela empresa mostra o Free Remote, um App que espelha o TAB Fisc em qualquer plataforma de maneira responsiva, facilitando o trabalho dos Agentes Fiscais.

 

 

 

 

DeathStar  

A DeathStar apresentou o Sistar, que nada mais é que uma integração entre sistemas, onde há uma conversa entre as plataformas do Crea, reduzindo a chance de erros humanos, gerando uma automação de informações, através de um App Web e mobile que conversem. No projeto Sistar é proposto um sistema de baixas automáticas de rotas, em que utiliza também um sistema de geolocalização.

 

 

FG Hightech  

A solução visa a otimização do trabalho dos fiscais, realizando alertas ao profissional sobre o vencimento de ações, gerando uma maior economia de tempo e recursos. Dentro de um sistema simples, o profissional pode ver todos os seus processos e a atual situação deles, através de um filtro de CPF e CNPJ, podendo oficiar um Engenheiro ou empresa diretamente do APP.

Vencedores

As equipes que faturaram as premiações de R$ 5 mil para o primeiro lugar, R$ 3 mil para o segundo lugar e R$ 1.500 mil, foram:

1° EufraimBit

É a nossa primeira participação, então a surpresa com o primeiro lugar foi enorme! Eu não tenho como explicar, é uma sensação incrível você saber que seu trabalho foi útil, que gerou algo importante e que teve impacto para um público, isso é sensacional! Só temos a agradecer o pessoal que ajudou a gente, os fiscais, os gerentes, a coordenação, os palestrantes, enfim, todo mundo! Sem eles, nada disso seria possível, comenta o representante Matheus Gabriel Matos. 

2° Pedreiros do Software

A expectativa era alta com a premiação, já que temos experiências de outros Hackathons e vínhamos com um bom entroncamento anterior. O resultado foi positivo, valeu muito a pena essas 30 horas de trabalho duro e poder ajudar o Crea de alguma maneira, comenta o representante Pedro Henrique Lobato.

3° FG Hightech   

Tínhamos expectativa uma grande deste evento e o grande trabalho em equipe mostrou isso. A gente tinha esperança, mas não esperava, é uma sensação incrível! Sem palavras para este momento. Queríamos agradecer em especial aos fiscais, a nossa ideia surgiu de uma necessidade deles, a participação deles foi essencial, comenta o representante Saulo Muzzolon.

 

 

 

As equipes que ficaram fora do pódio terão algumas de suas ideias consideradas pela equipe de TI e Fiscalização do Crea-PR futuramente. 

Compartilhe este conteúdo

Comentários

Nenhum comentário.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Marca do Conselho Federal de Engenharia e Agronomia - Confea Marca da Mútua Selo do Acesso à Informação Marca da Câmara de Mediação e Arbitragem do Crea-PR - CMA Marca do Portal de Informações SEI! Crea-PR

Marca do Programa Casa Fácil Marca da Biblioteca Virtual do Crea-PR Marca do CreaJr-PR Marca do Portal da Educação Marca do ProCrea Marca da Revista Técnico-científica do Crea-PR Marca do Sistema de Informações Geográficas do Crea-PR - SIG Marca da Ouvidoria do Crea-PR

Voltar ao topo