Marca do Crea-PR para impressão
Disponível em <https://www.crea-pr.org.br/ws/arquivos/28382>.
Acesso em 02/04/2020 às 08h26.

Crea-PR fala sobre os desdobramentos do soterramento ocorrido em Cascavel

30 de janeiro de 2020, às 13h50 - Tempo de leitura aproximado: 1 minuto

Após dois anos de processos internos, o Crea-PR vai encaminhando o relatório final sobre o soterramento ocorrido em Cascavel que ocasionou na morte três trabalhadores em 2018. Após julgamentos da Comissão de Ética do Crea-PR e da Câmara de Engenharia Civil, o Conselho chega a um parecer sobre a obra. Durante a última terça-feira (29), o Gerente da Regional Cascavel, Eng. Civ. Geraldo Canci, concedeu uma entrevista para a TV Tarobá sobre o assunto.

Confira a matéria:


Comentários

  1. Engenheiro Sincero disse:

    Parabéns. Para um órgão que somente deveria fazer este tipo de coisa 2 anos é uma resposta extremamente rápida…

    SQN

    1. Comunicação Crea-PR disse:

      Boa tarde, tudo bem?

      Os processos de apuração de infrações de ética profissional são tratados e julgados pela Comissão de Ética Profissional e pela respectiva Câmara Especializada à qual pertence o profissional, de acordo com o Anexo da Resolução nº 1.004, de 27 de junho de 2003, do Confea, que estabeleceu o Regulamento para a Condução do Processo Ético Disciplinar.
      O processo de apuração de conduta ética passa por várias fases, duas dentro da Câmara Especializada, uma no Comissão de Ética Profissional e, havendo interposição de recursos, uma no Plenário do Crea-PR e outra no Plenário do Confea.
      Em todas estas fases, cada decisão tomada deve ser comunicada aos envolvidos (denunciado e denunciante), concedendo prazos para manifestação a ambos, que variam de 10 a 60 dias. Além disso, na Comissão de Ética Profissional é realizada audiência com as partes e suas testemunhas, o que demanda agendamento de horários compatíveis entre os membros da Comissão e os envolvidos.
      As Câmaras Especializadas e a Comissão de Ética Profissional reúnem-se, em média, a cada 41 dias, quando são realizados os julgamentos de todos os processos em pauta.
      Respeitamos estes prazos para a total legalidade do processo e para que todos tenham direito à ampla defesa.

      Atenciosamente.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *