Marca do Crea-PR para impressão
Disponível em <https://www.crea-pr.org.br/ws/arquivos/28934>.
Acesso em 22/09/2020 às 07h35.

Novas tecnologias demandam novo perfil de Engenheiros

Região Sudoeste já conta com profissionais com nova mentalidade para desenvolver tecnologias para a produção.

14 de fevereiro de 2020, às 16h58 - Tempo de leitura aproximado: 3 minutos

A profissão de Engenheiro completou 86 anos no Brasil, em 11 de dezembro passado. Em quase nove décadas, a Engenharia desdobrou-se em mais de cem títulos e novas modalidades continuam sendo criadas. No Estado, segundo o Conselho Regional de Engenharia e Agronomia do Paraná (Crea-PR), são 83.114 profissionais, somando os registros e vistos. Das oito Regionais do Conselho, a de Curitiba é a que tem mais profissionais, 26.770. Na sequência, Maringá (7.957); Cascavel (7.253); Londrina (6.372); Ponta Grossa (3.669); Guarapuava (2.883); Pato Branco (2.781); e Apucarana (1.933).

Os números não mostram a mudança silenciosa que vem ocorrendo no Sudoeste a respeito do perfil dos Engenheiros. Na indústria ou no campo, os profissionais têm que ter uma nova mentalidade e acompanhar as ondas de tecnologias e inovações que transformam a realidade e sacodem o mercado de trabalho com cada vez mais frequência.

Exemplos não faltam. Em Pato Branco, a Atlas Eletrodomésticos conta com a Engenharia para ganhar competitividade em produtos da área de cocção. O Engenheiro Mecânico Dorly Fernandes da Silva Júnior, gerente de Desenvolvimento de Produtos, observa que as mudanças de mentalidade estão relacionadas à Indústria 4.0 (a chamada quarta revolução industrial, com impacto mais profundo e exponencial, se caracteriza, por um conjunto de tecnologias ligadas às Engenharias que permitem a fusão do mundo físico, digital e biológico; os computadores estão conectados e se comunicam entre si de forma independente, para, finalmente, tomar decisões sem envolvimento humano).

“As necessidades do mercado estão cada vez mais dinâmicas. O Engenheiro necessita atualizar-se constantemente, ter boa comunicação interpessoal, visão analítica e crítica dos problemas e saber trabalhar em equipes multidisciplinares. Outra qualidade importantíssima nos dias atuais é a flexibilidade – muitas das atividades não existirão em pouco tempo e a habilidade em se adaptar em novas funções e tecnologias acaba virando uma questão de sobrevivência no mercado de trabalho”, analisa Dorly.

O Engenheiro Mecânico salienta que a empresa tem buscado Engenheiros de outras áreas, como Engenharia da Computação e parcerias com instituições de ensino superior, como UFSC e UTFPR. “A Indústria 4.0 está em andamento na empresa. A impressora 3D é utilizada no desenvolvimento de novos produtos e uma Sala de Realidade Virtual estará disponível em breve para contribuir com os projetos de Engenharia”, completa Dorly. Atualmente, a Atlas exporta seus produtos para mais de 20 países.

Também de Pato Branco, na Inobram, empresa líder em automação para avicultura e suinocultura na América Latina, a Engenharia tem papel fundamental desde o início do empreendimento, em uma incubadora, há 15 anos.

“O processo evoluiu nesse período. De uma linha de produção passamos para a produção em célula, que exige profissionais mais qualificados. O modelo também permite que os colaboradores praticamente finalizem os equipamentos, o que evita a monotonia e gera maior satisfação”, relata Ricardo Baptista de Almeida, Engenheiro responsável da empresa.

Com formação em Engenharia Eletrônica, Elétrica e de Segurança do Trabalho, Ricardo conta que há a necessidade de continuar se aprimorando. “Em 2000, quando me formei, era valorizada a bagagem técnica. Hoje, além de ter o conhecimento e estar atualizado com as tecnologias, é preciso saber trabalhar com gestão de pessoas. A dedicação é importante, para adquirir conhecimentos, constantemente.”

Ricardo Almeida aponta ainda a evolução tecnológica. “O primeiro produto da empresa era do tipo liga/desliga. Agora, os sistemas permitem acompanhamento via celular. As mudanças foram enormes e passaram pela Engenharia.”

No agronegócio

O Crea-PR e a Inobram estão entre os mais de 500 expositores do Show Rural, em Cascavel, de 3 a 7 de fevereiro. Considerado o maior evento do agronegócio das Américas do Sul e Central, e um dos maiores do mundo em novidades para o campo, o Show Rural também conta com a participação do Crea-PR. Já foram realizadas reuniões da Câmara Especializada de Agronomia e do Comitê Empresarial do Agronegócio.

As discussões sobre inovação, tecnologia e o novo perfil dos Engenheiros Agrônomos têm sido frequentes. “Com a Agricultura 4.0 predominando no campo, os profissionais têm se especializado no uso de tecnologias vinculadas à Engenharia Genética, à automação agrícola e à agricultura de precisão. A maioria delas relacionadas à ‘Internet das Coisas’, Inteligência Artificial, realidade virtual/aumentada, computação cognitiva e drones”, avalia o presidente do Crea-PR, Engenheiro Civil Ricardo Rocha.


Comentários

Nenhum comentário.

Deixe um comentário

Comentários com palavras de baixo calão ou que difamem a imagem do Conselho não serão aceitos.

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *