Marca do Crea-PR para impressão
Disponível em <https://www.crea-pr.org.br/ws/arquivos/29911>.
Acesso em 02/04/2020 às 09h49.

Paisagismo é mais uma das atribuições do Engenheiro Agrônomo

Engenheiros(as) Agrônomos(as) e Florestais são os(as) profissionais indicados(as) para este tipo de serviço

13 de março de 2020, às 16h31 - Tempo de leitura aproximado: 2 minutos

Engana-se quem pensa que o Engenheiro Agrônomo é um profissional exclusivamente dedicado à pesquisa e aplicação de métodos de alto rendimento na agricultura. A gama de atribuições abre espaço também para uma área em projeção e de estreita relação com o meio ambiente: o paisagismo.

O novo projeto de ajardinamento da Areac surgiu justamente do olhar da Engenheira Agrônoma Giane Dranka Mori. Harmonia e movimento são os adjetivos mais adequados para descrever o novo projeto, concebido pela Engenheira Agrônoma de forma a explorar o potencial oferecido pela arquitetura rústica e ampla visão proporcionada pela transparência dos vidros. O jardim era a cereja do bolo que faltava para coroar todo um trabalho feito com muito amor. E há mais de meio século fruto da dedicação das diretorias anteriores e principalmente, pela atual, presidida pelo Engenheiro Agrônomo Cesar Veronese.

O ajardinamento acompanha as formas rústicas da estrutura do salão social e do quioesque-bar

“Minha inspiração partiu da utilização de plantas que combinassem entre si, fossem resistentes e com um colorido diferente nas folhas”, descreve ela. No canteiro central, destaque para o desenho em movimento das plantas e Palmeiras Azuis. “As linhas do jardim são curvas, em sintonia com o espaço”, diz.

As espécies utilizadas no projeto de paisagismo no canteiro central foram a Sunpatiens – flores belíssimas e que darão um colorido especial a entrada da Associação, juntamente com a beleza rara das Palmeiras Bismarck, conhecidas como Palmeiras Azuis. Para a transparência do salão, lírios da paz, buxus, aspargos, Palmeira Rafis, pleomele, língua de serpente, clusia e alpinias. No caminho para o quiosque-bar, uma jabuticabeira dá as boas-vindas aos visitantes, contornando toda essa exuberância de tons de verde a grama Esmeralda.

Na primeira etapa de implantação do paisagismo, uma força-tarefa mobilizou membros Engenheiros Agrônomos da Diretoria e do Conselho no plantio das plantas e flores. A conclusão dos serviços teve respaldo de mão de obra contratada.

Projeto paisagístico da Areac leva a assinatura de engenheira agrônoma Giane Mori

O projeto prevê ainda a etapa da iluminação e a implantação de plantas em torno da piscina (laterais e fundos), para aumentar a privacidade dos banhistas.  “O paisagismo é o acabamento e a vida de uma obra, valorizando a arquitetura”, sintetiza.

Giane Dranka Mori é esposa do atual diretor-financeiro da Areac, Engenheiro Agrônomo Andrei Mori. Com mais de uma década de expertise na área de paisagismo, Giane tem especialização em Paisagismo pela Escola Vasterival de Curitiba e duas pós-graduações na área ambiental. Atualmente, Giane Mori está perto do concluir o mestrado nesta área. “Fico feliz em contribuir com este momento da Areac, desde a elaboração à execução do projeto”.

 

 

 

 

Texto e fotos: Vandré Dubiela


Comentários

  1. Reginaldo Rocha Filho disse:

    O Engenheiro Florestal também pode ser responsável técnico por Paisagismo, Parques e Jardins, equivocada esta matéria reportando-se apenas a um profissional do Sistema CONFEA/CREA.

    Favor corrigir a matéria.

    Reginaldo Rocha Filho
    Engenheiro Florestal

    1. Comunicação Crea-PR disse:

      Olá, Reginaldo. Tudo bem?

      Sim, o Engenheiro Florestal também pode, mas nesta matéria abordamos somente o âmbito da agronomia, já que o intuito do texto era falar sobre os Agrônomos e a AREAC. Informamos que já adicionamos a questão dos Florestais no texto.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *