Marca do Crea-PR para impressão
Disponível em <https://www.crea-pr.org.br/ws/arquivos/30298>.
Acesso em 24/06/2021 às 00h00.

Hospitais recorrem à engenharia para ampliação de seus leitos visando prevenir-se da Covid-19 com uma boa estrutura.

3 de abril de 2020, às 16h46 - Tempo de leitura aproximado: 1 minuto

Devido à pandemia mundial causada pelo novo Coronavírus (COVID-19), o mundo teve que se readaptar. Comércios fecharam, aulas foram suspensas, pessoas estão trabalhando de casa, praticamente tudo mudou. Mas existem coisas que não podem mudar, e uma delas é a área da saúde. Os hospitais, nesses momentos de crise, são os mais afetados, pois vivem com seus leitos cheios e beirando ao colapso. E é aí que a engenharia entra com sua expertise, para tentar desafogar essa situação.

Durante as últimas semanas, o Hospital São Lucas de Cascavel iniciou a construção de um anexo para melhor atender os pacientes com suspeita de Coronavírus. A nova área do hospital, estruturada por uma equipe de engenheiros em conjunto com o Centro Universitário FAG, será composta por quatro contêineres, com 16 salas, todas com suporte avançado com oxigênio e outros equipamentos.

Conversamos com um dos profissionais responsáveis pela obra, o Engenheiro Civil Ciro Francois Estruzani Neves, que abordou a importância do serviço ser executado rapidamente por profissionais habilitados. “Essa ação não estava programada, foi uma obra emergencial para melhor atender a população caso haja necessidade. Por ser algo urgente, o time da negenharia pensou em utilizar estruturas de contêiner pela agilidade de execução e possibilidade de reutilização em outro local. Foi de vital importância a presença de engenheiros capacitados em uma obra como essa, caso contrário, ela não estaria sendo planejada e executada de maneira tão rápida e com segurança”, comenta Ciro.

Segundo Neves, as unidades, que têm previsão para serem finalizadas até a Páscoa, já estão tomando forma. Elas ficarão anexas ao pronto-socorro, onde atualmente as equipes trabalham na adequação interna e na confecção dos acessos. O engenheiro ressalta a questão de insalubridade e que as medidas preventivas estão sendo adotadas pela construtora. “Estamos tomando todos os cuidados recomendados pelo Ministério da Saúde para manter a segurança dos funcionários, evitando, sempre que possível, aglomerações, disponibilizando máscaras e álcool gel, além da instalação de mais pontos para lavagem das mãos”, finaliza Ciro.​

Lucas Aron Nogas

Assessor de Imprensa do Crea-PR / Regional Curitiba 


Comentários

Nenhum comentário.

Deixe um comentário

Comentários com palavras de baixo calão ou que difamem a imagem do Conselho não serão aceitos.

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *