Marca do Crea-PR para impressão
Disponível em <https://www.crea-pr.org.br/ws/arquivos/30794>.
Acesso em 07/03/2021 às 18h07.

Operação de prevenção contra Covid-19 transforma rotina de engenheiro no Porto de Paranaguá

Ações de combate ao novo Coronavírus evidenciam papel estratégico da Engenharia de Segurança do Trabalho

10 de maio de 2020, às 15h46 - Tempo de leitura aproximado: 4 minutos

A pandemia modificou as diversas formas de vivência e interação das pessoas. E as rotinas de trabalho também precisaram passar por mudanças para evitar o contágio e a disseminação da Covid-19. Esta é a nova realidade do Engenheiro de Segurança do Trabalho José Sbravatti, um dos integrantes do comitê que desenvolve e planeja atividades preventivas no Porto de Paranaguá.

“Diariamente estou envolvido com a maioria dessas ações. Na verdade, minha rotina foi amplamente modificada para montar a operação e colocá-la para rodar. E dia a dia avaliamos a performance das equipes, verificamos oportunidades de melhoria, estudamos todos os nossos públicos, identificando quais situações teriam certa fragilidade e com potencial de ser uma porta de entrada do vírus no ambiente portuário, bloqueamos estes gaps para manter o porto em operação e não parar a cadeia logística”, detalha o engenheiro. “Estou como fiscal dos contratos principais e acabo gerenciando todos os indicadores”.

Os trabalhos da comissão de emergência para a Operação Prevenção Covid-19 do Porto de Paranaguá tiveram início no final do mês de janeiro com a definição de requisitos para atracação de navios e troca de tripulação. “Nós começamos a fazer alguns planejamentos com algumas medidas para garantir a segurança do pessoal. Naquele momento havia um cenário mais controlado”, lembra.

“Depois que o Ministério da Saúde declarou que o Brasil já tinha registrado a contaminação de pessoa para pessoa no país, a gente teve que sentar e replanejar todas as ações para poder manter o porto operando. Dentro desse pacote, a gente criou um comitê de prevenção nomeado Operação Covid-19. Realmente é uma mega operação: temos ações de controle e monitoramento que englobam várias frentes”, relata o engenheiro. Há uma equipe de cerca de 50 pessoas trabalhando nas estratégias, com as ações tendoinício no dia 25 de março deste ano. “Iniciamos o planejamento para rodar com a operação por 90 dias, prorrogáveis por mais 90”, explica.

Na faixa portuária, houve contratação de equipes médicas que operam 24h na triagem inicial dos trabalhadores portuários com sintomas compatíveis; foram instalados organizadores de fila para que as pessoas mantenham distância nas áreas de acesso, estações de higienização dentro e fora dessa faixa portuária e lava-pés com hipoclorito para a desinfecção dos calçados na saída dos trabalhadores. Houve uma mudança de rotina na limpeza e desinfecção dos acessos de pessoas nos torniquetes, que passou a ser constante, assim como a desinfecção de superfícies nos locais de acesso de pessoas (frequência diária). Além disso, ocorreu um simulado de atendimento ao novo Coronavírus, com a participação de vários agentes de saúde.

“Em uma das frentes, a gente acionou o plano de contingência em conjunto com a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) e determinou uma única entrada e saída de acesso ao porto na parte de pedestres. Para essas pessoas que acessam o porto, o primeiro passo é descontaminação dos seus calçados em um quaternário de amônio. Depois, é feita uma aferição de temperatura – a gente tem um fluxograma que foi desenhado junto com a Secretaria Estadual de Saúde e a Epidemiologia de Paranaguá para avaliar casos leves, moderados e graves. Caso alguém ateste uma temperatura acima de 37,6°C, vai para uma retriagem. São feitas mais algumas aferições, uma consulta e, se tiver necessidade, a pessoa passa pelo médico, que faz uma triagem inicial e a encaminha para um serviço especializado do município. Essa ação também visa não superlotar as unidades de saúde”, diz Sbravatti. “A gente aumentou também as frequências de higienização dos locais de uso comum, desinfecção de superfícies, o número de espaços de higienização, banheiros com sabonete antisséptico, local para lavar e higienizar as mãos. Isso na faixa portuária, na entrada de pedestres e de caminhões. E tem uma mega operação do pátio de triagem, por onde entram os caminhões que vão acessar o porto”.

Os trabalhos incluem ainda campanhas internas para os funcionários, com ações informativas a respeito do uso de máscaras, álcool gel, distanciamento, reuniões limitadas, tecnologias diferentes, trabalho remoto, etc. Estas ações foram desenhadas em conjunto com parceiros como a Secretaria de Saúde do Estado do Paraná (Sesa), Anvisa e Epidemiologia do Município de Paranaguá.

O Porto de Paranaguá segue operando normalmente devido às medidas implementadas. Em 40 dias de operação, mais de 190 mil trabalhadores e usuários do porto passaram pelos controles.

 

Larissa Ayumi Sato

Assessora de Imprensa do Crea-PR / Regional Apucarana

 


Comentários

Nenhum comentário.

Deixe um comentário

Comentários com palavras de baixo calão ou que difamem a imagem do Conselho não serão aceitos.

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *