Marca do Crea-PR para impressão
Disponível em <https://www.crea-pr.org.br/ws/arquivos/31886>.
Acesso em 10/07/2020 às 22h57.

Norma de Inspeção Predial – Um avanço na segurança de edificações!

26 de junho de 2020, às 9h31 - Tempo de leitura aproximado: 2 minutos

Nesse mês de junho, o Crea-PR completa 86 anos. E o aniversário chega com um importante avanço há muito esperado pela sociedade. A Associação Brasileira de Normas Técnicas (ABNT) acaba de publicar a norma NBR 16747:2020 que estabelece método e cria parâmetros para a realização de vistorias prediais, tanto para empreendimentos públicos, quanto privados.
A discussão sobre esse tema teve início em 2013 motivada, infelizmente, pela tragédia na boate de Santa Maria (RS). Sete anos após o início das discussões, podemos acreditar que temos um documento que representa um importante marco na busca por mais segurança para a sociedade.

O objetivo da norma é constatar o estado de conservação e funcionamento de uma edificação e, com isso, possibilitar que mantenha as condições mínimas necessárias à segurança e sua habitabilidade, abrangendo as mais diversas áreas da engenharia, tais como estabilidade das estruturas da edificação, Instalações elétricas, motores, para-ráios, sistemas de geração e conservação de energia, elevadores, vasos de pressão, caldeiras, centrais de gás, sistemas de combate a incêndios, tratamento de efluentes, tratamento de água, entre outros.

O processo de criação de normas técnicas é lento em função da necessidade de consenso entre os membros que compõem o comitê responsável pela sua elaboração. Desta forma, a norma busca traduzir o entendimento harmonizado dentre aqueles que a produziram. Ao ser aprovada e disponibilizada para a sociedade, novos pontos de vista passam a ser agregados à mesma. Por ser uma atividade multidisciplinar, a inspeção predial poderá evoluir para prever a efetiva participação de todos os profissionais habilitados de forma obrigatória em cada uma de suas especialidades.

Esta nova norma da ABNT passa a ser adotada como documento de balizamento para o monitoramento da vida útil de uma edificação e, após o imóvel ser entregue aos proprietários, serve como diretriz para atestar suas condições de uso, operação, manutenção, funcionalidade e desempenho. O documento, que pode parecer simples, representa um passo a mais em direção ao ambiente jurídico ideal que tanto precisamos para o desenvolvimento das atividades das engenharias, e poderá avançar ainda mais, pois nenhuma norma é definitiva – ou seja, ela vai sendo revisada e atualizada com o passar do tempo. Com as novas necessidades – a norma NBR 16747:2020, no futuro, necessitará de revisões na direção de seu aperfeiçoamento. E o Sistema Confea/Crea, como um dos mantenedores da ABNT, e por sua natureza multiprofissional, irá buscar a melhoria continua da mesma.

Finalizo destacando também o ganho da NBR 16747:2020 no que diz respeito aos municípios passarem a ter uma diretriz para criar suas próprias leis sobre as inspeções, determinando critérios como por exemplo periodicidade e obrigatoriedade. Algumas cidades já criaram suas leis municipais, antes mesmo da publicação da norma, como forma de prevenção aos acidentes de grande escala, como Rio de Janeiro, Fortaleza e Vitória. No Paraná, o assunto ainda tem muito a avançar e o Crea-PR estará aberto para discutir o tema em cada município do Estado, para seguir com sua missão que tanto nos honra nesses 86 anos, de defender e proteger a sociedade, por meio da regulamentação, fiscalização e fomento do exercício ético das profissões ligadas ao Conselho.


Comentários

  1. Fernando Rosendo de Araújo Filho disse:

    Bom dia,
    Os comentários que criticam alguns pontos da nova norma são sumariamente apagados. Por isso me abstenho de fazer qualquer comentário.

    1. Comunicação Crea-PR disse:

      Olá, Fernando. Tudo bem?

      Muito pelo contrário, nós temos nossa caixa de comentários aberta justamente para que os profissionais com opiniões divergentes possam debater sobre os temas que postamos. Nós somente deletamos comentários com palavras de baixo calão ou que difamem a imagem do Conselho.

  2. Gustavo disse:

    Gostaria de saber o que um Engenheiro Civil sabe sobre eletricidade!? Os 3 Engenheiros que conheço formados nessa área mal sabem ligar uma lâmpada com interruptor paralelo quanto mais “Laudar” uma instalação elétrica. ABSURDO!

    Parabéns (Ironia) aos elaboradores da norma.

  3. Oneide Antonio Siveris de Oliveira disse:

    Está me parecendo que a apreciação do tema foi conduzida de maneira política buscando favorecer mais uma vez a classe de Engenharia civil em detrimento de outras cujo CREA também representa, ao menos teoricamente no papel. Beira o absurdo dizer que a engenharia civil é a única a poder conduzir uma inspeção “elétrica” predial.

  4. EU SOU ENGENHEIRO ELETRICISTA E ESTOU DECEPCIONADO COM A MINHA FORMAÇÃO POIS OS ENGENHEIROS CIVIL ASSINAM TUDO E NÃO SOBRA NADA PARA NOS DÁ ELÉTRICA E MECÂNICA ATÉ QUANDO VAI DURAR ISSO ?

  5. Essa norma é um afronto a sociedade Brasileira. Já fiz uma denúncia no Ministério Público Federal sobre ela.

    Foi elaborada por engenheiros civis sem a participação de profissionais da elétrica e mecânica.

    Tem como intuito abrir mercado e deixar que profissionais que estudaram 60h sobre eletricidade façam inspeção elétrica.

    Nesse vídeo que provavelmente será apagado do post falo sobre isso 👇

    https://www.youtube.com/watch?v=K2sDdEjsvgA

  6. A recente aprovação pela ABNT da NBR 16.747/2020, norma relativa à Inspeção Predial, representa para Associação Brasileira de Engenheiros Civis-Departamento do Paraná – ABENC/PR uma importante etapa vencida na sua luta, iniciada no final do ano de 2016, para conseguir a aprovação de uma lei municipal para Curitiba, a partir de um Projeto de Lei de autoria do Vereador Tico Kuzma, datado de 2013, que dispunha sobre a realização de vistorias técnicas periódicas e manutenções preventivas nos imóveis de Curitiba. Graças ao apoio de entidades como o CREA-PR, PUC-PR e IEP, entre outras, conseguimos reunir um Grupo de Trabalho constituído por profissionais de engenharia e arquitetura que desde 2016 vem se reunindo para melhorar o texto do Projeto em pauta, mantendo contato permanentemente, com a Comissão de Urbanismo, Obras Públicas e TI da Câmara Municipal de Curitiba, encarregada de analisar projetos dessa natureza. Esse Grupo abrange profissionais de entidades como a própria ABENC-PR, do IBAPE-PR, do IEP e da UFPR, observando que profissionais de outras entidades deixaram, momentaneamente, de participar do Grupo, face os obstáculos enfrentados ao longo da caminhada. Agora com a aprovação da norma, estamos chamando os mesmos para a continuidade do trabalho. Lembrar que o trabalho de inspeção predial possui características multidisciplinares, exigindo equipes de diferentes formações. Essas inspeções devem ser realizadas apenas por profissionais habilitados, devidamente registrados nos conselhos profissionais nas áreas de engenharia e arquitetura (CREA ou CAU), dentro das atribuições contempladas no Decreto Lei nº 23.569/1933, nas Leis Federais nºs. 5.194/1966 e 12.378/2010 e em resoluções do CONFEA e do CAU-BR.

    1. Prezado Eng. Itiberê,

      Participei da reunião no IEP. Era o único engenheiro eletricista.

      Foi uma vergonha o que fizeram. Manipulação de comentários para abertura de mercado.

      Deixarem profissionais que estudaram 60h sobre eletricidade fazer inspeção nas Instalações elétricas.

      É uma vergonha até onde vai a ganância e a arrogância do ser humano.

    2. Prezado Eng. Itiberê, se não me engano estava na reunião feita no IPE durante a consulta a fase consulta pública.

      Foi uma vergonha o que foi feito lá. A manipulação para abrir mercado.

      Minha denúncia com as provas já estão correndo no Ministério Público Federal.

      Nesse vídeo tem a apresentação feita para o CREA/PR falando sobre a abertura de mercado:

      https://www.youtube.com/watch?v=K2sDdEjsvgA

      Vão apagar minhas mensagens até quando? Preciso deixar registrado em video minhas postagens para provar que querem esconder as verdades para população?

      1. Comunicação Crea-PR disse:

        Olá, Daniel. Tudo bem?

        Nossos comentários são moderados, por isso podem demorar para ficar on-line. Nós somente apagamos comentários com palavras de baixo calão ou que difamem a imagem do Conselho, a discussão entre profissionais é sempre bem-vinda.

  7. Diógenes Caetano dos Santos Filho disse:

    Isso, embora venha cheio de boas intenções, servirá apenas para onerar e burocratizar mais ainda, a já tão carregada carga de tributos e taxas, que a iniciativa privada carrega no Brasil. Mas o pior de tudo, é dar mais poderes para os órgãos públicos prejudicarem os adversários políticos, e favorecerem os aliados, além de criar mais uma mercadoria, para ser vendida nos balcões das repartições públicas.

  8. ladymara iuszczak disse:

    Gostaria de saber como o Crea faz a divisão de habilidades, pois observo que a Civil é a chamada pode tudo e as outras engenharias acabam sendo sufocadas e ficam sem espaço e isso acontece mesmo com grades totalmente diferentes, em algumas ocasiões as grades que estão sendo sufocadas, tem muito mais capacidade curricular.
    Existe alguma iniciativa do Crea para tentar estabilizar estas diferenças e dar mais oportunidade para as outras classes ?

    1. Comunicação Crea-PR disse:

      Olá, Ladymara. Tudo bem?
      As questões referentes a atribuições são bem complexas, elas são constantementes discutidas pelo Confea e pelo Crea. Caso tenha sugestões, solicitamos que nos encaminhe um e-mail por meio do Fale Conosco falando sobre isso.

  9. Igor Boris Kuczynski disse:

    Concordo integralmente com a publicação da Norma de Inspeção Predial NBR 16747:2020 pela ABNT,
    como garantia de segurança geral de instalações, montagens e serviços para o usuário final, com o devido acompanhamento por profissionais de Engenharias registrados nos CREAs.
    Acredito ser obrigação da sociedade no cumprimento da realização de Inspeções e Laudos Oficiais e com providências pelas prefeituras dos Estados, lastreado por suas leis próprias e em atendimento as normas e deliberações do CREA.

    Igor Boris Kuczynski
    Engenheiro Eletricista
    CREA: 6194/D-PR

    1. Murillo disse:

      Como tb Eng. Eletricista e colega de profissão, a norma trás elementos importantes no que tange a parte de segurança em prol da sociedade. Porém a norma é clara nas entrelinhas e dá direcionamento à somente um profissional pode fazer essa inspeção, ou seja, “a galera do pode tudo” da Civil. A norma tem lado e interesses próprios, devemos repudiar este tipo de atitude. A chamada do texto “Um avanço na segurança de edificações” é delicada, no que expõe as atribuições e dizeres da norma. Não pode ser atribuída a profissionais que tiveram cadeira na graduação na área elétrica na ordem de 60h para dar um parecer responsável sobre instalações elétricas, onde a muito tempo há sistemas elétricos complexos em ambiente predial.

    2. Igor, espero que NÃO tenha conhecimento sobre o teor dessa norma para falar o que escreveu.

      Se trata de uma norma feita pela civil sem a participação da elétrica.

      Participei de uma reunião vergonhosa no Instituto de Engenharia do Paraná.

      No vídeo falo sobre a denúncia em andamento no Ministério Público Federal:

      https://www.youtube.com/watch?v=K2sDdEjsvgA

      Recomendo assistir para refletir sobre a sua opinião sobre o tema.

      Forte abraço.

  10. Bruno disse:

    Agora rezamos que para o lobby de eng. civil não tente abocanhar as atribuições na emissão de laudo da eng. elétrica e eng. mecânica

    1. João Antônio disse:

      Esperamos que o Crea seja mais imparcial e não passe todas as atribuições ao Eng. Civil, mas ainda tenho dúvida quanto a isso.

    2. Bruno isso já aconteceu e não percebemos.

      A norma foi feita somente por engenheiros civis sem a participação ativa da elétrica.

      Nesse vídeo falo sobre isso 👇

      https://www.youtube.com/watch?v=K2sDdEjsvgA

      Estou com uma denúncia em andamento no Ministério Público Federal.

      É uma vergonha a manipulação por trás disso tudo…

  11. Excelente notícia, há tempos a sociedade juntamente dos profissionais da engenharia observam o descaso com a manutenção das edificações. Mais segurança para todos, e finalmente uma importante demanda para nós engenheiros que temos papel fundamental na sociedade muitas vezes não valorizados.

  12. ARY CUNHA disse:

    -HA MUITOS ANOS COMO ESPECIALISTA EM PATOLOGIA DE EDIFICIOS, ERA PRUDENTE UMA NORMA NESTE NIVEL , EM QUE EDIFICAÇOES DETERIORADAS PELO TEMPO, OU PELA MA CONSTRUÇAO, FAZEM CORRER PARA AS PESSOAS, GRANDES RISCOS DE COLAPSOS, E DE SUAS PROPRIAS VIDAS, ONDE, MARQUISES NO CENTRO DE CIDADES CAEM E MATAM PESSOAS, JANELAS E VIDROS SE SOLTAM E VOAM LITERALMENTE SOBRE O PUBLICO; ONDE TRANSFORMADORES EM PREDIOS ANTIGOS (VERDADEIRAS BOMBAS), DE IMPLOSAO NOS SEUS SUBSOLOS SEM QUALQUER MANUTENÇAO TECNICA E CHEGAMOS A VER SEM OLEO DE RESFRIAMENTO HA MUITO TEMPO.ESTRUTURAS COLAPSADAS EM BASES ONDE FERRAGENS EXPOSTAS SE APRESENTAM EM PILARES ; LAGES E VIGAS; SISTEMAS ELETRICOS ANTIGOS EM QUE EXISTEM FIOS ENCAPADOS EM TECIDO AINDA.; FUSIVEIS DE PORCELANA DE OUTRAS EPOCAS SEM NEHUMA PROTEÇAO. SISTEMAS DE INCENDIO SEM NENHUMA FUNÇAO, POIS NAO HA MANUTENÇAO. EM SALVADOR NUMA VISITA PUDEMOS VER EDIFICIOS CENTENARIOS ,SEM SEQUER NENHUMA PROTEÇAO OU REFORÇO PARA QUE NAO CAIAM NO PUBLICO. E MUITOS EXEMPLOS E TIPOS DE PATOLOGIAS EM PONTES ; VIADUTOS, E MUITAS OUTRAS OBRAS. PARABENS A ABNT;E CREA E CONFEA , POR ESTA DECISAO MESMO QUE TARDIA ; MAS CERTEIRA, ABRAÇO A TODOS ARY CUNHA, ENGENHEIRO CIVIL.

  13. Regina disse:

    Gostaria de ajudar pois fiscalizei obras e edificações durante 32 anos adquirindo experiência em vistorias, manutenções e fiscalização

Deixe um comentário

Comentários com palavras de baixo calão ou que difamem a imagem do Conselho não serão aceitos.

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *