Marca do Crea-PR para impressão
Disponível em <https://www.crea-pr.org.br/ws/arquivos/32991>.
Acesso em 24/10/2020 às 20h58.

No encerramento de seus mandatos, inspetores falam sobre a importância da atividade

18 de setembro de 2020, às 10h43 - Tempo de leitura aproximado: 6 minutos

No último mês de agosto, 2.813 profissionais registrados no Crea-PR escolheram os 174 inspetores que irão atuar em todo o Estado, no mandato 2021-2023. O pleito ocorreu para eleger inspetores de seis modalidades, um para cada Câmara Especializada (Agronomia, Engenharia Civil, Engenharia Elétrica, Engenharia Mecânica e Metalúrgica, Engenharia Química, Geologia e Minas, e Agrimensura e Engenharia de Segurança do Trabalho), nas 35 inspetorias do Crea-PR. Com o novo regulamento, os inspetores passam a ter mandato coincidente com o do presidente do Crea-PR, iniciando em 1º de janeiro de 2021.

Os inspetores desempenham um importante papel junto ao Crea-PR. Eles têm a função de aprimorar o processo fiscalizatório do Conselho, exigir e buscar a efetiva participação dos profissionais nas obras e serviços e contribuir nas discussões de políticas públicas de desenvolvimento do Estado.
Os profissionais que terminaram seus mandatos reconhecem essa importância e, alguns deles, compartilharam conosco como foi viver essa experiência:

 

Maycon Fabio Savoldi
Engenheiro Mecânico atuou por dois mandatos na Inspetoria de Foz do Iguaçu

“Fiz minha inscrição ao cargo de inspetor, com o objetivo de colaborar com atividades prestadas em minha área de atuação, e buscar maior interação junto aos profissionais e empresas. Este tempo dedicado ao cargo possibilitou um conhecimento mais aprofundado da atuação do CREA, entendimento dos processos internos, normativas, decisões estratégicas e a possibilidade de conhecer vários profissionais do setor.  Um dos pontos que gostaria de enfatizar neste período como inspetor é a compreensão do trabalho realizado pelos profissionais responsáveis pelas fiscalizações nas obras. Compreendendo que além da preocupação com a aplicação das melhores práticas da engenharia nos locais fiscalizados, as ações tomadas acabam gerando um processo de integração com o cliente, empresa executora e responsável técnico, onde todos se beneficiam”.

 

Geraldo Carvalho de Oliveira
Engenheiro de Segurança do Trabalho, atuou na Inspetoria de Irati
“Ser inspetor do Crea é vivenciar uma experiência bastante interessante, primeiro porque é um trabalho voluntário, ou seja, é uma atividade desenvolvida em favor da Engenharia sem nenhuma compensação financeira, apenas com o objetivo de servir. Também é uma oportunidade de conhecer o funcionamento do nosso Crea, de dar sugestões para melhorar a atuação do conselho, principalmente no que tange as atividades de fiscalização. Neste contexto, uma das experiências mais marcantes foi a possibilidade de interação com os colegas das várias engenharias, tanto nas reuniões de Inspetoria, bem como nos vários eventos que tive a oportunidade de participar, organizado pelo nosso Conselho”.

 

Jonas Rodrigo Tavares de Avilla
Enenheiro Civil, atuou na Inspetoria de Bandeirantes
“A experiência como inspetor é fantástica e gratificante, atuamos de forma honorífica e imparcial em ações de fiscalização em defesa do exercício profissional junto a sociedade, observando condutas éticas, administrativas e de boas práticas profissionais, seguimos como representantes do Crea-PR quando designados, colaborando com as câmaras especializadas em suas atividades”.

 

Igor Gallo Pawlak
Engenheiro Florestal, atuou na Inspetoria de Laranjeiras do Sul e foi reeleito
“O inspetor tem papel fundamental na organização do conselho e fui incumbido da importante missão de estar à frente da câmara de Agronomia pela inspetoria de Laranjeiras do Sul. Com muito entusiasmo e responsabilidade em representar o CREA-PR perante a sociedade, defender as atividades técnicas e zelar pela ética profissional, reflito que esta experiência resultou em um saldo positivo. O legado que norteara a sequência dos trabalhos fundamenta-se no engajamento por melhorias, aproximação entre os pares e a defesa da sociedade”.

 

Emanuel F. S. Coelho
Engenheiro Civil, atuou na Inspetoria de Toledo
“Participar de um grupo que se reúne para buscar melhoria para a classe é muito gratificante. As reuniões antes presenciais eram possíveis de entender não só as dificuldades de onde atuamos, mas também de outras áreas da engenharia, e dessa forma além de poder contribuir para uma área específica em questão podemos auxiliar outras somando as variadas possibilidades do grupo. Agora é um tempo de afastamento as reuniões acontecem de forma virtual, não se tem mais a aproximação, mas é possível a interação de muito mais integrantes pois pode-se reunir pessoas de locais mais distantes. O grupo busca entender como as coisas funcionam para que a engenharia rode cada vez mais e menos burocrática na busca constante de melhorias. Essa é a missão da INSPETORIA”.

 

Karlize Posanske da Silva
Engenheira Civil, atuou na Inspetoria de Palmas e na Coordenação Estadual do Colégio de Inspetores
“Gostei muito de ser umas das coordenadoras regional, representar minha região, levar as necessidades que minha região necessitava. O que foi de mais legal, é que cada região tinha seu coordenador e pudemos observar cada qual tinha sua particulares, cada regional tinha uma visão e necessidade de fiscalização diferente.
Foi uma experiência nova para todos nós, pois éramos oito representantes de cada região do Paraná, num Colégio novo, (Colégio de Inspetores) sem saber direito qual era nosso dever, acredito que conseguimos desenvolver a função que nos foi apresentada.
Já fui inspetora em outros mandatos, mais nenhum deles esteve na mesma representação e importância dentro do conselho. Hoje o inspetor é visto como um papel fundamental para o Sistema. Ótima experiência”.

 

Agatha Branco
Engenheira Cartógrafa, atuou na Inspetoria da Regional Curitiba
Após dois mandatos na Inspetoria, eleita por profissionais do Crea-PR, saio feliz pq aprendi muito dentro do Crea-PR e acho que consegui contribuir também. Tive a oportunidade de conhecer excelentes profissionais, todos engajados em lutar pela classe e pela sociedade. Entendi melhor como funcionam os processos. Isso tem sido muito importante para minha carreira. Quando iniciei os trabalhos era a unica cartografa atuando dentro do conselho, tive a oportunidade de agregar mais colegas para atuarem junto, as Engenheiras Taciana Malheros Vannucci para presidencia da ABECPR e coordenadora adjunta do CDER, a Joceli de Andrade Boguzs e a Paula Foltran de Azevedo Hamerschmidt para a coordenação regional do comitê das mulheres. E elegemos a Engenheira Cartografa Isadora Barioni, para a Inspetoria do CEAEST – Regional Curitiba q eu faço parte. Ou seja quadruplicamos nossa participação, o que beneficia muito nossa categoria dentro da instituição. Agradeço muito a equipe da regional Curitiba, todos os funcionários muito engajados em nos apoiar.

 

Jorge Luis Oliveira Campelo
Geógrafo, atuou na Inspetoria da regional Guarapuava
“O trabalho do inspetor é muito importante. Ele é responsável por fazer a intermediação entre o Conselho e a sociedade, levando informações e trazendo conteúdo de relevância sobre questões que, de alguma forma, geram impacto na sociedade local. Algumas inspetorias trabalharam assuntos de muita importância e gravidade. Divulgamos muito o trabalho das engenharias, agronomia e geociências em rádios e mídias impressas, o que foi muito importante. Abrir a escolha dos inspetores para os profissionais foi uma ideia muito boa e eu agradeço aos colegas que encontram em mim essa representação. Fico feliz também da Aprogeo conseguir, consecutivamente, ter mais um inspetor eleito na regional Guarapuava e outro na regional Maringá ,dando continuidade a contribuição da Associação dentro da inspetoria do Crea-PR.


Comentários

Nenhum comentário.

Deixe um comentário

Comentários com palavras de baixo calão ou que difamem a imagem do Conselho não serão aceitos.

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *