Marca do Crea-PR para impressão
Disponível em <https://www.crea-pr.org.br/ws/arquivos/36908>.
Acesso em 06/05/2021 às 13h47.

Engenheiros agrônomos da Areac conhecem o Biopark

29 de abril de 2021, às 15h30 - Tempo de leitura aproximado: 2 minutos

Engenheiros agrônomos da Areac (Associação Regional dos Engenheiros Agrônomos de Cascavel) tiveram uma manhã de 23 de abril de conhecimento e imersão às novas tecnologias sobre o que vem por aí na profissão e no agronegócio. A vitrine foi o Biopark, em Toledo.

A comitiva, liderada pelo presidente da Areac, engenheiro agrônomo Cesar Davi Veronese, recebeu o convite para conhecer como será o projeto de um dos maiores centros de difusão de tecnologia e pesquisa do oeste do Paraná, que já é conhecido como o Vale do Silício Brasileiro, em alusão ao lugar homônimo situado no Baía de São Francisco, na Califórnia (Estados Unidos). Os primeiros tijolos começaram a ser colocados em 2016. Atualmente, o local recebe diariamente 1.200 pessoas entre profissionais das 117 empresas estabelecidas no local e estudantes da UTFPR (Universidade Tecnológica Federal do Paraná). O Biopark está há poucos minutos da área central de Toledo, distante 15 quilômetros. Do total de empresas já sediadas no Biopark, pelo menos 30 estão ligadas ao agronegócio.

As boas-vindas foram dadas por Rogerio Tavares Ferreira, da área comercial, por Paulo Victor de Almeida, diretor de Negócio e pelo proprietário do Biopark, Luiz Donaduzzi. O Biopark é um território de mais de 5 milhões de metros quadrados que contempla, além de um Parque Tecnológico de 4ª geração, setores organizados que permitem o desenvolvimento de áreas residenciais, comerciais e industriais. Em termos de oportunidades, o Biopark se caracteriza hoje como um ecossistema de negócios – que oferece benefícios únicos para empresas; como um polo educacional com quatro universidades de alto padrão, sendo três federais (UFPR, UTFPR e IFPR); como um centro de pesquisas com dezenas de laboratórios já em funcionamento; e como uma área promissora para investimentos imobiliários.

SmartFarm

O presidente Cesar Veronese, se diz impressionado com a estrutura já existente e os projetos ainda em fase de implantação. “Ficamos mais entusiasmados ainda com o número de empresas do agronegócio existentes no Biopark e com o campo de oportunidades que ainda há pela frente”, destaca.

A SmartFarm também surpreendeu a comitiva. Trata-se de uma ampla área de difusão de tecnologia e conhecimento e que terá como desafio fazer com que a região oeste produza mais, sem a necessidade de expansão de áreas, apenas aproveitando o potencial já existente.  O presidente da Areac disse que os profissionais da entidade estão “à disposição para colaborar com as pesquisas e na implantação de um curso de agronomia diferenciado, avançado e voltado a novos experimentos tecnológicos”.

Os projetos do Biopark são arrojados: em 25 a 30 anos conta em ter uma população de 75 mil pessoas, gerar mais de 30 mil empregos e abrigar 500 empresas. Será um lugar para morar, fazer negócios e estudar. A ‘cidade sustentável’ também contará com um moderno complexo hospitalar, com 160 leitos. Dentro do aspecto relacionado à infra-estrutura, o Biopark terá shopping center, panificadora, supermercado, farmácia e tudo relacionado à prestação de serviços. A comitiva da Areac contou ainda com a participação do diretor de Política Profissional, Andrei Mori;  do diretor-Técnico Airton Cittolin; do diretor-Financeiro Mário Cesar Pereira; e do diretor de Esportes, Alceu Pedron, além de Ênio Walcker.  Ao fim da visita, os membros da diretoria foram agraciados com um produto proveniente da queijaria existente no Biopark.

Texto: Vandré Dubiela/Comunicação Areac


Comentários

Nenhum comentário.

Deixe um comentário

Comentários com palavras de baixo calão ou que difamem a imagem do Conselho não serão aceitos.

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *