Marca do Crea-PR para impressão
Disponível em <https://www.crea-pr.org.br/ws/arquivos/407>.
Acesso em 10/07/2020 às 19h19.

Ipea estima 1,7 milhão de novos empregos em 2011

29 de abril de 2011, às 18h27 - Tempo de leitura aproximado: 1 minuto

               
O Ipea divulgou nesta quinta-feira, em São Paulo, o Comunicado nº 89 – Emprego e oferta qualificada de mão de obra no Brasil: projeções  para 2011. Apresentado em coletiva de imprensa pelo presidente do Ipea, Marcio Pochmann, o documento relaciona as perspectivas de oferta de mão de obra e a demanda por trabalhadores qualificados no País.                                                                                            
O estudo indica que a expansão econômica esperada para o ano de 2011 tende a afetar positivamente o mercado de trabalho brasileiro. Uma das conclusões é que deverá ocorrer escassez de mão de obra qualificada e com experiência profissional ao longo do ano de 2011. “Porém, hoje essa escassez não é global, mas restrita a alguns setores”, disse Pochmann. Haverá em 2011 excedente de força de trabalho no mercado brasileiro, mas sem qualificação ou experiência, impactando no alcance do pleno emprego global. Isso deve ocorrer, segundo a pesquisa, devido à estimativa de uma demanda de mão de obra de cerca de 22,1 milhões de pessoas ante os 28,2 milhões de trabalhadores disponíveis no mercado brasileiro.                                                                                         
 Segundo Pochmann, em 2011 a geração de empregos será menor que em 2010. Isso reflete o crescimento projetado do PIB brasileiro para o ano corrente,  cerca de 5%, portanto inferior aos 7,5% do ano passado. “Em 2010 o Brasil gerou cerca de 2,5 milhões de empregos. Para este ano, a projeção é de 1,7 milhão”, destacou.                                    
Para a realização da pesquisa, o Ipea utilizou dados do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) e do Ministério do Trabalho e Emprego.


Comentários

Nenhum comentário.

Deixe um comentário

Comentários com palavras de baixo calão ou que difamem a imagem do Conselho não serão aceitos.

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *