Marca do Crea-PR para impressão
Disponível em <https://www.crea-pr.org.br/ws/arquivos/42993>.
Acesso em 05/12/2021 às 10h32.

5G: como a tecnologia vai mudar a vida dos brasileiros

Crea-PR coloca-se como parceiro das Administrações Municipais do Estado, que precisarão rever ou criar legislação para instalação de novas antenas e equipamentos

23 de novembro de 2021, às 10h39 - Tempo de leitura aproximado: 3 minutos

O Governo Federal, por meio do Ministério das Comunicações e da Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel) realizou, em 4 de novembro, o leilão das frequências que serão usadas na quinta geração de internet móvel, o 5G. Trata-se da maior licitação da história das telecomunicações brasileiras e um grande marco tecnológico.

Especialistas apontam uma série de transformações em consequência da tecnologia 5G. A pergunta que fica é: quais os impactos da nova geração de internet para os brasileiros? Ricardo Toyama, Engenheiro Eletricista e Engenheiro de Telecomunicações que é gestor de fiscalização na Câmara Especializada de Engenharia Elétrica (CEEE) do Conselho Regional de Engenharia e Agronomia do Paraná (Crea-PR), antecipa as principais vantagens do novo sistema, que deverá estar operando nas capitais e no Distrito Federal até 31 de julho de 2022.

Vantagens

O novo padrão propiciará inovações em praticamente todas as áreas, graças à conectividade. “O 5G vai resultar em uma taxa de transmissão 20 vezes mais rápida do que a atual geração”, exemplifica Toyama. Outra boa notícia é que, nos smartphones com a nova tecnologia, a duração das baterias será maior – os dispositivos serão 90% mais econômicos no uso da energia.

A baixa latência é outra característica positiva do 5G, importante em sistemas e operações que exigem respostas de comando em tempo real, como na telemedicina, carros autônomos e sistemas automatizados em indústrias.

“As respostas serão praticamente instantâneas, o que beneficiará a educação à distância, as automações industriais e agrícolas e permitirá a implantação de cidades inteligentes. Na segurança pública, por exemplo, câmeras com detecção facial poderão identificar criminosos”, antecipa o Engenheiro.

Legislação ultrapassada

Mas, nem tudo são flores. O 5G levará tempo até estar em todo o País. Será necessária uma estrutura cinco vezes maior do que o 4G. O cronograma para implantação do sistema em todo o Brasil vai até 2030. Além disso, é necessário que os municípios revejam ou criem legislações para instalação de novas antenas e equipamentos, para direcionar como, quando e onde as estruturas serão colocadas.

“Um dos maiores empecilhos é que as legislações municipais estão desatualizadas. Dos 5.570 municípios do Brasil, só 20 estão com legislação atualizada. A Anatel tem procurado colaborar com o processo, assim como o Crea-PR, que tem se colocado como parceiro de Prefeituras e Câmaras Municipais para contribuir nos projetos e auxiliar no processo de formulação das legislações”, salienta Toyama.

O Crea-PR também é responsável pela fiscalização das estruturas e antenas montadas no Estado, verificando se as empresas e profissionais especializados contratados pelas operadoras estão devidamente registrados no Conselho.

Primeira do Sul

O Paraná já está tendo um gostinho do que vem por aí. Desde agosto deste ano, Londrina, no norte do Estado, tem a primeira antena de internet 5G instalada no Sul do País. O equipamento está na área da Embrapa Soja, em uso experimental pelo setor agrícola. Londrina também é um dos municípios que já conta com legislação atualizada.

Legislação

A Lei nº 9.472/1997, conhecida como Lei Geral de Telecomunicações, regulamenta o setor. Já a Lei nº 11.934/2009 dispõe sobre os limites de exposição humana aos campos elétricos, magnéticos e eletromagnéticos. A Lei nº 13.116/2015 estabelece normas gerais para implantação e compartilhamento da infraestrutura de telecomunicações.

Dia do Engenheiro Eletricista

Os Engenheiros Eletricistas podem atuar nos sistemas de comunicação e telecomunicações, desde que atendam aos requisitos da Resolução nº 218 do Conselho Federal de Engenharia e Agronomia (Confea) e da Câmara Especializada de Engenharia Elétrica (CEEE) do Crea-PR.

A profissão de Engenheiro Eletricista, inclusive, é celebrada nesta terça-feira, 23 de novembro. A escolha da data é uma referência à fundação, no ano de 1913, do Instituto Eletrotécnico e Mecânico de Itajubá (MG), atualmente Universidade Federal de Itajubá, uma das maiores escolas de Engenharia do País.


Comentários

Nenhum comentário.

Deixe um comentário

Comentários com palavras de baixo calão ou que difamem a imagem do Conselho não serão aceitos.

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *