Marca do Crea-PR para impressão
Disponível em <https://www.crea-pr.org.br/ws/engenharia-de-agrimensura-e-o-conhecimento-da-superficie-terrestre/>.
Acesso em 10/08/2022 às 02h06.

Engenharia de Agrimensura e o conhecimento da superfície terrestre

São 351 Engenheiros Agrimensores atuando no Paraná

3 de junho de 2022, às 16h24 - Tempo de leitura aproximado: 4 minutos

Qual o melhor traçado para o projeto da rodovia? Como garantir a correta implantação daquele projeto arquitetônico? A área daquela reserva legal está sendo respeitada? Como monitor os deslocamentos de massa para garantir a segurança das populações próximas àquela barragem?

Estas são algumas perguntas que podem ser respondidas com base em métodos e técnicas de levantamento, mensuração e representação das dimensões e posição dos elementos naturais e artificiais da superfície terrestre. Mas você sabe qual o profissional detém conhecimento especializado para pôr em prática essas ações?

Se a resposta foi o Engenheiro Agrimensor, você acertou! “É a Engenharia de Agrimensura quem forma profissionais capacitados para atuar em trabalhos que envolvem a Geodésia, a Cartografia e o Sensoriamento Remoto, ciências diretamente ligadas ao estudo e representação da forma e dimensões da Terra, seus elementos naturais e artificiais”, afirma o Engenheiro Agrimensor Caio dos Anjos Paiva, que atua também como conselheiro do Conselho Regional de Engenharia e Agronomia do Paraná (Crea-PR).

O dia do Engenheiro Agrimensor é celebrado no Brasil neste dia 4 de junho. Segundo dados do Crea-PR, há 351 profissionais dessa modalidade atuando no estado. A Engenharia de Agrimensura é uma das profissões fiscalizadas pelo Conselho. Nessas fiscalizações, verifica-se os serviços relacionados são acompanhados por um profissional responsável e se há o respectivo registro de Anotação de Responsabilidade Técnica (ART).

“Sabe aquele município tido como referência de planejamento urbano? Uma das bases deste planejamento é o mapeamento cadastral: do sistema viário, das quadras, lotes, edificações, equipamentos urbanos, recursos naturais, entre outros. Mas você sabe como é feito o mapeamento? A partir de técnicas fotogramétricas, em que imagens aéreas permitem a retirada de informação geométrica dos elementos mapeados. Pois bem, é muito provável que um ou mais Engenheiros Agrimensores atuem ou tenham atuado neste mapeamento”, pontua Paiva, que também é docente na Universidade Federal do Paraná (UFPR).

Assim, fica fácil perceber que o Engenheiro Agrimensor é um profissional multidisciplinar, que trabalha lado a lado e em diferentes fretes das Engenharias. “É ele quem fornece a base para o planejamento, gerando informação espacial confiável, que é o suporte primário para as tomadas de decisão assertivas”, comenta.

Mas será que é só isso? “De forma alguma! Você sabia que é o conhecimento técnico sobre as questões legais da terra que viabilizam a maioria dos processos de regularização fundiária, conflitos e demais questões de ordem pública e privada sobre o direito à propriedade imóvel? Sem este conhecimento seria impossível a correta delimitação, parcelamento, implantação de divisas, etc. É a relação do conhecimento técnico e legal, no mesmo profissional, que permite a identificação inequívoca, de forma georreferenciada, de cada propriedade imóvel”, acrescenta.

E o que dizer deste profissional em tempos em que o volume, velocidade e variedade de informação cresce exponencialmente a cada minuto? “Bom, quando consideramos que praticamente todas as ‘coisas’ possuem uma localização geográfica, o Engenheiro Agrimensor assume uma importância ainda maior. Na era do Big Data, se é a correta análise sobre os dados que fomenta os sistemas mais eficientes nos diferentes seguimentos da sociedade, então, nada melhor do que contar com uma autoridade na análise de dados georreferenciados”, aponta.

E ainda é possível citar mais. “Sabe aquele candidato que se elegeu porque intensificou sua campanha em locais estratégicos de uma determinada região? E aquela rede farmácias, que distribui suas lojas em pontos específicos da cidade? Pois é, uma das formas de identificar estes locais envolve estatística espacial, uma das especialidades do Engenheiro Agrimensor. O conhecimento espacial do meio em que vivemos sempre foi uma necessidade primordial, seja por questões de sobrevivência, orientação, segurança, navegação, construção, etc. E a Engenharia de Agrimensura nasceu desta necessidade. Já quanto ao futuro da profissão, vejo que cada vez mais ela abre seus horizontes, acompanhando o desenvolvimento tecnológico de outras áreas, mantendo com isso seu caráter multidisciplinar, e mapeando o mundo em seus diferentes aspectos”, finaliza.

Eng. Cartografo Caio dos Anjos Paiva

Caio dos Anjos Paiva: Possui graduação em Engenharia Cartográfica e de Agrimensura pela Universidade Federal do Paraná (2014), mestrado e doutorado em Ciências Geodésicas pela mesma universidade (2016 e 2021). Atualmente é professor do Departamento de Geomática da Universidade Federal do Paraná; Vice coordenador do curso de Engenharia Cartográfica e de Agrimensura; Docente do Programa de Pós Graduação em Ciência Geodésicas também da Universidade Federal do Paraná, e coordenador da Equipe de Georreferenciamento do Termo de Execução Descentralizada do Projeto de Regularização Fundiária executado pelo INCRA em parceria com a UFPR, dos Assentamentos Federais no Estado do Paraná.

 

 

 

Sobre o Crea-PR

O Conselho Regional de Engenharia e Agronomia do Paraná, criado no ano de 1934, é uma autarquia responsável pela regulamentação e fiscalização dos profissionais das áreas das engenharias, agronomias e geociências. Além de regulamentar e fiscalizar, o Crea-PR também promove ações de orientação e valorização profissional por meio de termos de fomentos disponibilizados via Editais de Chamamento.

Texto: Larissa Ayumi Sato – Assessoria de Imprensa Regional Crea-PR


Comentários

Nenhum comentário.

Deixe um comentário

Comentários com palavras de baixo calão ou que difamem a imagem do Conselho não serão aceitos.

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *