Marca do Crea-PR para impressão
Disponível em <https://www.crea-pr.org.br/ws/hospitais-fiscalizados-apresentaram-irregularidades/>.
Acesso em 17/08/2022 às 22h27.

60% dos hospitais fiscalizados pelo Crea-PR em Curitiba apresentaram irregularidades

17 de junho de 2022, às 14h07 - Tempo de leitura aproximado: 2 minutos

hospitais-curitibanos-apresentam-irregularidades

O Crea-PR concluiu a meta de fiscalizar 101 hospitais em Curitiba, região metropolitana e litoral. Só em Curitiba, foram 59 hospitais fiscalizados. Durante as visitas técnicas, foi verificada se havia a presença de responsáveis pelas instalações e manutenções de equipamentos e de estruturas hospitalares. No total, 28 hospitais de Curitiba apresentaram irregularidades. No total da regional, foram registradas 187 irregularidades – 81 em hospitais de Curitiba.

A ocorrência mais frequente (80%) foi a falta de Anotação de Responsabilidade Técnica (ART) de manutenção. “A manutenção preventiva deve ser realizada periodicamente e como atividade técnica de engenharia, o registro de ART é obrigatório. Nas irregularidades, identificamos que na maioria dos casos a manutenção foi realizada, porém sem a emissão de ART que vincula a responsabilidade técnica ao profissional”, explica Eduardo Ramires, gerente da regional Curitiba do Crea-PR.

Nos casos em que se observou a falta de manutenção dos equipamentos no período determinado por normas específicas, foi feita a orientação da necessidade de regularização – tanto da efetivação da manutenção, quanto da necessidade de registro de ART.A ART é o instrumento que define quem foi o profissional responsável técnico por aquela manutenção, e o responsabiliza pela qualidade do serviço prestado.

O bom funcionamento dos hospitais tem forte relação com as atividades das engenharias.

A instalação e manutenção dos equipamentos requer conhecimentos técnicos específicos para seu perfeito funcionamento, e os profissionais da engenharia são as pessoas que detêm esse conhecimento e, sobretudo, a habilitação prevista em lei para aplicá-lo.

Além dos equipamentos específicos de uso hospitalar, foram verificados também os serviços relativos aos equipamentos complementares de funcionamento dos hospitais, tais como sistemas de ar condicionado, elevadores, caldeiras, redes de combate a incêndio, centrais de gás, geradores, transformadores, quadros e cabines de energia, plano de gerenciamento de resíduos de serviços de saúde, desinsetização, obras de reestruturação, construção e reforma, entre outros.

Essas atividades, além do aspecto técnico envolvido, devem seguir normas e legislação específicas, necessitando assim da competência e conhecimento dos bons profissionais da engenharia em suas diversas modalidades.

O Paraná possui atualmente 433 hospitais. A meta da autarquia é fiscalizar 50% do total, até o final de junho.

 

Texto: Denise Morini – Assessoria de Imprensa Regional Curitiba Crea-PR


Comentários

  1. G disse:

    A fiscalização do CREA avança sobre as necessidades técnicas ou não? Pois não vejo o CREA atuando em fiscalizações de questões técnicas de engenharia mecânica, elétrica, química, de segurança do trabalho, ou mais especificamente: aterramento ou mesmo as citadas manutenções preventivas. Qual a profundidade desta fiscalização? Minha percepção é que a ART é emitida para garantir que haja uma fiscalização para ver se a ART é emitida. Pois se o Conselho não intervém em questões técnicas, qual é o retorno à sociedade deste tipo de fiscalização? Além disso, não é porque o profissional é habilitado, que o serviço está em conformidade técnica. Ter manutenção preventiva contribui em nada se a manutenção for feita de forma errada. Ou melhor, pode até agravar a condição das máquinas.
    Cito sempre Brumadinho… no evento, onde estava o CREA-MG, e em qual reportagem ele foi citado? Tenho certeza que se o evento fosse um envenenamento acidental em um hospital, o CRM seria o primeiro a se posicionar. Agradeço se puder me responder à seguinte questão: o Crea. através de sua fiscalização avança ou não sobre questões técnicas?

    1. Comunicação Crea-PR disse:

      Olá. Tudo bem?
      O Crea com sua fiscalização não pode avançar sobre questões técnicas. Não temos o poder legal de fiscalizar a qualidade, nem de obrigar a fazerem as manutenções. Uma vez habilitado, o profissional é livre para exercer a sua profissão, assumindo as responsabilidades em relação às suas atividades. Um profissional habilitado ajuda a reduzir os riscos, mas não podemos garantir a qualidade, infelizmente.
      Nesta matéria você pode conferir alguns detalhes do nosso processo de fiscalização e o que cabe ou não ao Crea fiscalizar.

  2. boa noite :
    Gostaria de estar solicitando, que para as proximas fiscalizações ou visita tecnica, controlada ou até em alguma O.F.E. seja realizado um convite, as inspetoria da regional e Associações, por que acredito que tem muito profissional que ja , realizou alguma obra, ou até mesmo trabalhou na Engenharia desse departamento, hospitalar, o qual pode e muito contribuir, na hora da fiscalização e como sempre se deixo a disposição para as proximas fiscalizações.

    1. Comunicação Crea-PR disse:

      Olá, Carlos. Tudo bem?
      Nós realizamos esse tipo de convite, mas depende muito do local fiscalizado! Sugerimos que o sr. compareça a próxima reunião da nossa fiscalização na sua inspetoria mais próxima, assim você poderá sugerir que esses convites ocorram em mais ações de fiscalização.

  3. Triste realidade destes hospitais que nem sequer se atentam para atender seus clientes, pura falta de gestão de SMS, manutenção e com legislação prevista inclusive pela Anvisa.

    1. Comunicação Crea-PR disse:

      Olá Paulo, tudo bem? Realmente a situação da saúde no nosso país está lamentável. Obrigado pela interação.

Deixe um comentário para Paulo Benevides dos Santos Cancelar resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *