Marca do Crea-PR para impressão
Disponível em <https://www.crea-pr.org.br/ws/premio-enedina-reconhece-profissionais-mulheres/>.
Acesso em 28/06/2022 às 11h51.

Crea-PR reconhece profissionais mulheres em noite de premiação

21 de junho de 2022, às 11h11 - Tempo de leitura aproximado: 10 minutos

A entrega do Prêmio Crea-PR Engenheira Enedina Alves Marques, realizado na noite de ontem (20/06) na Unibrasil, em Curitiba, evidenciou o protagonismo das mulheres no campo profissional e a luta diária que cada uma delas trava para garantir o seu lugar igualitário e de direito no mercado de trabalho. Por meio da história de vida da primeira engenheira mulher do sul do país (e a primeira negra do Brasil), a paranaense Enedina Alvez Marques, contada pela professora doutora Lindamir Salete Casagrande, os presentes confirmaram que derrubar barreiras tem sido uma ação de longa data na história das mulheres. “O grande feito da engenheira Enedina não foram suas obras, mas as portas que ela abriu para que profissionais como vocês estivessem sendo reconhecidas numa noite como a de hoje”, enfatizou Lindamir Casagrande.

O Prêmio Crea-PR Engenheira Enedina Alves Marques foi criado e organizado pelo Comitê Mulheres do Conselho, , com apoio da Mútua-PR e da Cooperativa de Crédito – CredCrea, e nasceu com o objetivo de, anualmente, homenagear uma profissional de cada regional da autarquia, por meio de indicações vindas das Entidades de Classe e Instituições de Ensino locais.

A cerimônia de entrega do Prêmio contou em sua mesa de abertura com a presença do presidente do Crea-PR, Engenheiro Civil Ricardo Rocha de Oliveira, da conselheira e coordenadora do Comitê Mulheres, Engenheira Civil Karlize Posanske da Silva, do chefe de gabinete do Confea, Engenheiro Agrônomo Luiz Antonio Rossafa, do secretário estadual da Agricultura e do Abastecimento (Seab) do Paraná, Engenheiro Agrônomo Norberto Ortigara, da professora e Engenheira Civil Wanda Camargo, representando o Centro Universitário UniBrasil, e do diretor geral da Caixa de Assistência dos Profissionais Mútua-PR, Engenheiro Civil Julio Russi.

“Quero agradecer a todos os que se envolveram para a realização deste prêmio, ao presidente Ricardo Rocha pela ideia, e dizer para vocês homenageadas que não é a toa que foram indicadas. Sintam-se honradas por serem as primeiras a participarem de uma solenidade tão importante para a trajetória profissional das engenheiras no estado do Paraná”, disse a coordenadora do Comitê Mulheres em sua fala de abertura.

“Foi uma ideia fabulosa do Crea-PR ter uma figura humana tão importante representando um prêmio como esse. Acho que cada estado poderia aproveitar a iniciativa e escolher sua figura feminina desbravadora para representar uma premiação local semelhante”, sugeriu o chefe de gabinete do Confea.

“Em nome do governo do Paraná trazemos o incentivo para que o Crea-PR continue trilhando essa forma de atuar aberta, parceira e inovadora”, destacou o secretário estadual da Seab.

“Tive a honra de ser vizinha da Enedina na época em que cursava minha graduação. Ela sempre foi reconhecida pela história de vida de muita luta e superação de obstáculos e a noite de hoje demonstra que seu legado segue inspirando a todos e todas”, ressaltou a professora Wanda Camargo, seguida do diretor da Mútua que também relembrou passagens da vida da Enedina que demonstraram seu posicionamento e determinação.

Após a palestra da professora e escritora Lindamir Casagrande, que detalhou passagens da vida de Enedina, as homenageadas formam chamadas ao palco e, seguidas da fala do presidente do Crea-PR, receberam suas homenagens. “Sempre falo que receber um prêmio como o de hoje é uma grande responsabilidade pois, a partir deste data, vocês se tornam espelho para futuras gerações. Esse prêmio vem para colaborar neste trabalho de reconhecimento que há anos as mulheres vêm trilhando. Ainda temos muitos problemas a serem corrigidos como defasagem salarial e assédios, mas, assim coma a engenheira Enedina, que era uma estrela além do tempo e provou que é possível, vocês, que também são estrelas além do tempo, vão desbravar caminhos para as próximas gerações e provar que é possível e necessária a igualdade de direitos e de reconhecimento. Contem com o Crea-PR para isso”, disse o Engenheiro Civil Ricardo Rocha.

As premiadas

premio-enedina-crea-maristella
premio-enedina-crea-sandra
premio-enedina-crea-achcr
premio-enedina-crea-loreni
premio-enedina-crea-celia
premio-enedina-crea-celia
premio-enedina-crea-donaria
premio-enedina-crea-ana

Engenheira Civil Célia Neto Pereira da Rosa, indicada pela regional de Cascavel:
“É muito gratificante e especial receber este prêmio pois fui a primeira mulher a coordenar o Comitê Mulheres do Crea-PR, realizador desta iniciativa. Parabéns a todas as integrantes do Comitê”.
Currículo: Formada na Universidade Veiga de Almeida (UVA) – Rio de Janeiro em 1986; pós-graduada em Contenção de Encostas na UVA e em Ensino Superior pela UNOPAR. Atuou no cargo de presidente na Associação de Arquitetos e Engenheiros de Foz do Iguaçu, nas Comissões de Acessibilidade e do Regimento Interno do Crea-PR. Participou da Comissão de Reformulação da Norma 9050 na ABNT e foi vice-presidente e diretora de Assuntos Educacionais da Associação Comercial e Empresarial de Foz do Iguaçu. No Crea-PR teve importante papel na representação das mulheres como coordenadora e fundadora do Comitê Mulheres em 2016, membro do Comitê até 2019 e coordenadora da Regional Cascavel. Entre os cargos no Crea-PR durante a atuação como conselheira, foi chanceler do Mérito, segunda vice-presidente, membro da Comissão Organizadora do Seminário Internacional de Acessibilidade, na elaboração do Manual Prático de Acessibilidade e coordenadora da Câmara Especializada de Engenharia Civil. É professora do Centro Universitário Dinâmico das Cataratas – UDC.

Engenheira Cartógrafa Taciana Achcar Malheiros Vannucci, indicada pela regional de Curitiba:
“Minha mãe foi a referência de determinação na minha vida, assim como a Enedina tem sido na vida de muitas mulheres. Que tenhamos cada vez mais Enedinas em nossa sociedade”.
Currículo: Iniciou a carreira na Fundação de Assistência aos Municípios do Estado do Paraná (Famepar), hoje Paraná Cidade, como estagiária. Após a graduação, foi contratada em uma empresa como técnica operacional. Em menos de um ano foi promovida a responsável técnica como engenheira cartógrafa e logo assumiu a gerência técnica da empresa, que estava em crescimento em todo o Mercosul. Após quase 15 anos abriu sua empresa de consultoria em geoprocessamento. Nesta época foi eleita presidente da Associação dos Engenheiros Cartógrafos do Paraná. No período, em 2019, a Entidade obteve maior representatividade no Prêmio Profissional Destaque com a inédita premiação de duas engenheiras cartógrafas. Em 2020 foram três premiações no 13º Prêmio Crea de Qualidade, nas categorias Responsabilidade Administrativa, Evolução e Pequenas Entidades de Classe. Atualmente, atua na Gestão de Soluções da OkGeo Engenharia.

Engenheira Agrônoma Sandra Mara Vieira Fontoura, indicada pela regional de Guarapuava:
“Na minha turma eram apenas em três alunas, por isso é um orgulho muito grande estar aqui hoje representando outras mulheres da minha região”.
Currículo: Formada pelo Centro de Ciências Agroveterinárias UDESC, de Lages, em 1992, é mestre em Fertilização do Solo pela Universidade Federal do Paraná e pesquisadora da Fundação Agrária de Pesquisa Agropecuária em Guarapuava. Ela descobriu ainda na graduação que tinha vocação e paixão pelo universo da pesquisa. Após formada foi direto para o programa de Mestrado e em 1995 conquistou o título de mestre. Três anos depois da graduação começou sua jornada no mercado de trabalho como professora. Em 1997 ela seguiu seu caminho de realização profissional quando se mudou para Guarapuava. Já são 25 anos de atuação na FAPA, um centro de referência nacional de pesquisa em produção agropecuária.

Engenheira Civil Célia Oliveira Souza Catussi, indicada pela regional de Londrina:
“Agradeço poder representar a região de Londrina que tem grandes construtoras e é uma das mais verticalizadas do país. Parabéns ao Crea pela iniciativa”.
Currículo: Concluiu a graduação em 1984. No ano seguinte foi contratada como engenheira civil na Siderurgia Mannesmann do Brasil, em Contagem, Minas Gerais. Na época havia uma crise, não havia muitas oportunidades no mercado, e mesmo assim ela conseguiu seu lugar. Em 1988 ela se casou com um paranaense e se instalou em Londrina. Logo que chegou à cidade começou a trabalhar na Construtora Khouri, que estava edificando o Shopping Catuaí. Atuou ainda como gerente de Atendimento ao Cliente na Encol, atendendo sete cidades da regional Londrina. Atualmente, a engenheira é superintendente de Novos Negócios na Construtora Plaenge, empresa em que trabalha desde 1995. Também atua no Sindicato da Indústria da Construção Civil no Estado do Paraná (Sinduscon-PR) há dez anos, compondo a diretoria.

Engenheira Civil Donária Regina Nogueira Rizzo, indicada pela regional de Maringá:
“É uma honra receber essa homenagem em nome de tantas mulheres que também mereciam estar aqui. Agradeço em especial minha família”.
Currículo: Cursou a graduação na Universidade Estadual de Maringá e a pós-graduação em Avaliação de Bens e Perícias na Universidade Filadélfia. Ao todo, são 34 anos de profissão. Estagiou na área de hidrossanitário e logo que se formou filiou-se à Associação de Engenheiros e Arquitetos de Maringá (Aeam), Começou nas empresas Conbase e Conbloco como coordenadora do setor de projetos. Ao longo dos anos foi colaboradora e diretora na Aeam, e cooperou na implantação do Projeto Casa Fácil do Crea-PR em vários municípios da região. Trabalhou com elaboração de projetos e execução de obras residenciais e de implantação de loteamentos em Doutor Camargo. Foi responsável técnica e sócia da empresa R3 Engenharia Ltda, e é a responsável técnica e proprietária da empresa Donária Rizzo Engenharia, que atua na área de perícia, laudos de vistoria técnica e cautelar, assessoria e consultoria técnica, assistência técnica em Processos Judiciais da construção civil e de Engenharia Diagnóstica.

Engenheira Civil e Segurança do Trabalho Loreni Fenalti da Costa, indicada pela regional de Pato Branco:
“Quando me formei em 1976 recebi o título de Engenheiro Civil e não Engenheira. Naquela época também, concurso público era exclusivo para homens. Por isso a importância de prêmios como esse que exaltem reconheciam a igualdade profissional entre os gêneros”.
Currículo: Gaúcha de Santa Maria, mudou-se para Pato Branco em setembro de 1977, menos de um ano após concluir a graduação em Engenharia Civil na Universidade Federal de Santa Maria. Antes mesmo de terminar o curso, tinha a intenção de mudar-se para o Paraná e ter sua própria construtora. Em dezembro de 1977 fundou a Estilos Construções, empresa pioneira na região por ter uma engenheira no comando, com obras em Pato Branco, Dois Vizinhos e Francisco Beltrão. Com 45 anos de carreira, além de ter funções administrativas, continua no planejamento e execução, inclusive nos canteiros de obras.

Engenheira Agrônoma Maristella Dalla Pria, indicada pela regional de Ponta Grossa:
“É uma honra recebermos esse prêmio que serve de inspiração para continuarmos nosso trabalho. São várias frentes a serem desbravadas. Na questão racial, por exemplo, em 30 anos de docência só tive uma aluna negra. Ainda temos muito a evoluir”.
Currículo: Formada pela Universidade Estadual de Londrina (UEL), em 1987. Desde 1996 a engenheira se dedica à carreira docente e à pesquisa no curso de Agronomia da Universidade Estadual de Ponta Grossa (UEPG). É mestre pela Universidade Federal de Viçosa (MG) na área de fitopatologia.

Engenheira Agrônoma Ana Maria de Moraes (não pôde comparecer), indicada pela Regional de Apucarana:
Currículo: Nasceu em Caxias do Sul – RS, formada em Engenharia Agronômica pela Universidade do Estado de Santa Catarina em 1987. Ingressou em 1989 na Empresa Paranaense de Assistência Técnica e Extensão Rural (EMATER), atual Instituto de Desenvolvimento Rural do Paraná (IDR-Paraná). Participou da fundação do Núcleo dos Engenheiros Agrônomos do Vale do Ivaí, entidade que originou a Associação dos Engenheiros do Vale do Ivaí (ASSEAVI). Pela entidade, foi indicada na Categoria Carreira Destaque no Prêmio Destaque Profissional do Crea-PR em 2017. Foi inspetora em Ivaiporã por dois mandatos. Lecionou na Faculdade de Tecnologia do Vale do Ivaí (FATEC) – Ivaiporã e nas Faculdades do Centro do Paraná (UCP – Pitanga). Atuou na coordenação Regional de Projetos e gerência Regional do IDR em Ivaiporã, até a aposentadoria.

As fotos da premiação podem ser encontradas no Facebook do Crea-PR.

Fotos: Bruno Oliveira


Comentários

Nenhum comentário.

Deixe um comentário

Comentários com palavras de baixo calão ou que difamem a imagem do Conselho não serão aceitos.

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *