Marca do Crea-PR para impressão
https://www.crea-pr.org.br/ws/arquivos/26329

Workshop de Avaliações e Perícias traz aos participantes atualizações da área

1 de outubro de 2019, às 10h11


No dia 30 de setembro o Crea-PR, por meio da Comissão de Avaliações e Perícias, composta por conselheiros e funcionários do Conselho, realizou o Workshop de Avaliações e Perícias, em Curitiba, que apresentou profissionais de renome e experiência na área. O evento foi realizado no Centro Universitário Unibrasil, com apoio da Instituição.

Presidente do Crea-PR, engenheiro civil Ricardo Rocha de Oliveira

Na abertura, que contou com a presença do presidente do Crea-PR, engenheiro civil Ricardo Rocha de Oliveira, ele afirmou que “o Crea-PR te o compromisso da defesa da engenharia de avaliações e perícias, atividade que garante a segurança e permite que as avaliações sejam feitas com os métodos adequados”. Além disso, para ele, “é preciso atuar junto à ABNT para que entendam que a engenharia de avaliações e perícias é atividade de engenheiro, e que deve ser feito por estes profissionais nas avaliações de bancos e perícias judiciais”, e reforça: “é necessária a união do Sistema Confea/Crea e das entidades de classe para encontrar uma forma de atuação em conjunto nessa defesa”. (Veja no final da matéria a notícia sobre a nova Resolução do Bacen para avaliações de imóveis e o posicionamento de algumas instituições envolvidas).

Estavam também presentes na cerimônia de abertura o engenheiro Luciano Ventura, presidente do Instituto Brasileiro de Avaliações e Perícias – Paraná, e a engenheira civil Regina de Toni, coordenadora da Comissão de Avaliações e Perícias.

Engenheiro civil Francisco Maia Neto

A palestra inicial, pela manhã, teve como tema ‘A Prova Pericial na orientação de processos judiciais’, ministrada pelo engenheiro civil Francisco Maia Neto. Ele também é graduado em Direito e pós-graduado em Engenharia Econômica e Engenharia de Avaliações e Perícias. O palestrante tem vasta experiência na área e é autor de diversos livros sobre o tema. Durante sua fala, explicou sobre a prova no Código Civil Brasileiro, tipo de perícias e laudos, e todas as fases detalhadas da perícia.

Engenheiro agrônomo Carlos Augusto Arantes

No período da tarde a programação iniciou com a palestra ‘A nova norma da ABNT para imóveis Rurais’, proferida pelo engenheiro agrônomo Carlos Augusto Arantes. Ele também é graduado em jornalismo e direito imobiliário, pós-graduado em Gestão de Programa de Reforma Agrária e Assentamento, em Solos e Meio Ambiente, em Georreferenciamento de Imóveis Rurais e mestre em Ingeniería de la Tasación y Valoración pela UPV Universidad Politécnica de Valéncia / Espanha, além de Formado em Mediação, Conciliação, Arbitragem e Negociação pelo Instituto de Mediação do Brasil / SP. Arantes falou em detalhes sobre todas as alterações da nova norma da ABNT.

Engenheiro em eletrônica Bruno Morais Nerici

A segunda palestra da tarde teve como tema ‘Valoração de Áreas Ambientais’, realizada pelo engenheiro em eletrônica Bruno Morais Nerici, pós graduado em Gestão e Tecnologia Ambiental e Auditoria Ambiental. Ele explicou o que significa valorar uma área ambiental e sua base jurídica e normativa, além de diversos conceitos utilizados nessa área.

Advogado Ricardo Campelo

Encerrando o Workshop, Ricardo Campelo, graduado em direito e pós-graduado em Direito Empresarial Tributário, proferiu a palestra com o tema ‘A Nova norma de desempenho e o CPC’. Ele explicou todas as características da NBR ABNT 15575 e suas implicações práticas.

Aqui você pode conferir o conteúdo de todas as palestras.

Acesse aqui o álbum de fotos do evento.

Resolução do Bacen sobre avaliação de imóveis é vista com repúdio pelos órgãos envolvidos

No dia 26 de setembro o Banco Central do Brasil (Bacen) publicou a Resolução n.° 4.757, que permite às instituições financeiras dispensa da contratação de um perito em engenharia para fazer as avaliações do valor de mercado dos imóveis dados em garantia, e em seu lugar propicia a possibilidade de uma opinião de valor baseada em modelos genéricos sem a necessidade de vistoria do imóvel.

Para a Associação Nacional dos Engenheiros Arquitetos da Caixa Econômica Federal (Aneac) a utilização de modelos que negligenciem vistorias aumenta consideravelmente os riscos operacionais do banco, já que estes imóveis estarão mais suscetíveis a vícios construtivos como, por exemplo, problemas estruturais, infiltrações, dimensionamento inadequado de instalações, áreas com potencial de contaminação, além de questões de regularização dos imóveis.

Confira aqui na íntegra o texto de posicionamento da Aneac.

A Associação Brasileira de Avaliações e Perícias (Abap) também se posicionou oficialmente, repudiando a Resolução “que prejudica consumidores no mercado imobiliário permitindo o aumento da exposição do risco sistêmico”.

Acesse aqui o texto integral de posicionamento da Abap.

Compartilhe este conteúdo

Comentários

Nenhum comentário.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Marca do Conselho Federal de Engenharia e Agronomia - Confea Marca da Mútua Selo do Acesso à Informação Marca da Câmara de Mediação e Arbitragem do Crea-PR - CMA Marca do Portal de Informações SEI! Crea-PR

Marca do Programa Casa Fácil Marca da Biblioteca Virtual do Crea-PR Marca do CreaJr-PR Marca do Portal da Educação Marca do ProCrea Marca da Revista Técnico-científica do Crea-PR Marca do Sistema de Informações Geográficas do Crea-PR - SIG Marca da Ouvidoria do Crea-PR

Voltar ao topo