Marca do Crea-PR para impressão
Disponível em <https://www.crea-pr.org.br/ws/premio-crea-enedina-hoje/>.
Acesso em 10/08/2022 às 02h45.

Cerimônia do Prêmio Crea-PR Engenheira Enedina Alves Marques acontece hoje

20 de junho de 2022, às 12h31 - Tempo de leitura aproximado: 3 minutos

PEMIO-ENEDINA-CAPA-NOTICIA

O Crea-PR realiza nesta segunda-feira (20) a cerimônia da primeira edição do Prêmio Crea-PR Engenheira Enedina Alves Marques, organizado pelo Comitê Mulheres do Crea-PR, com apoio da Mútua-PR e da Cooperativa de Crédito – CredCrea. O mês de entrega da premiação foi escolhido porque em 23 de junho é comemorado o Dia Internacional das Mulheres na Engenharia. A data, criada pela Women’s Engineering Society (WES), do Reino Unido, celebra seu nono ano em 2022 com o objetivo de dar visibilidade às mulheres das Engenharias em todo o mundo e incentivar mais jovens mulheres e meninas a seguir carreira nesta área.

“É uma data para apoiar as mulheres e dar oportunidade para que possam atingir todo o seu potencial como profissionais livres. A Engenharia ajuda a desenvolver o mundo que se torna melhor, mais seguro, mais inovador e emocionante e a visão feminina é fundamental neste processo. Sempre coloco que é preciso buscar oportunidade para todos os gêneros. Todos os espaços que os homens estão, as mulheres também possam estar presentes buscando estágios, residências técnicas e atividades que possam desenvolvê-las e despertar esse interesse esse equilíbrio entre os gêneros. Por isso criamos o Prêmio Crea-PR Engenheira Enedina Alves Marques, para reconhecer a dedicação destas paranaenses”, destaca o presidente do Crea-PR, Eng. Civ. Ricardo Rocha.

O Prêmio tem como objetivo ser uma forma de reconhecer o trabalho das mulheres paranaenses nas Engenharias, Agronomia e Geociências. A Eng. Civ. Karlize Posanske da Silva, conselheira do Crea-PR e coordenadora do Comitê Mulheres, conta que “o Paraná foi o primeiro Crea a ter um Comitê Mulheres, programa hoje consolidado em todos os Creas. Podemos nos orgulhar deste pioneirismo e a nossa participação tem aumentado a cada ano, por meio de ações desenvolvidas pelo Comitê. E neste ano lançamos o Prêmio Crea-PR Engenheira Enedina Alves Marques, valorizando as nossas profissionais e homenageando a primeira engenheira paranaense”.

“A Engenharia ajuda a desenvolver o mundo. O mundo se torna melhor, mais seguro, mais inovador e emocionante a partir das atividades de Engenharia. E a visão feminina é fundamental. Por isso, estamos perdendo muito com a não participação das mulheres. E é essa a importância desse dia: incentivar, chamar a atenção para que cada vez mais as mulheres possam participar e participar de uma forma isonômica em questão de gênero”, pontua o presidente do Crea-PR.

Indicação ao Prêmio

Organizado pelo Comitê Mulheres do Crea-PR, foi indicada uma profissional de cada Regional do Conselho (oito no total – Apucarana, Cascavel, Curitiba, Guarapuava, Londrina, Maringá, Pato Branco e Ponta Grossa) para receber a homenagem. Os nomes escolhidos são resultado de sugestões vindas das Entidades de Classe e Instituições de Ensino. “O intuito é valorizar e reconhecer mais as mulheres dentro da engenharia, e escolhemos as oito representantes de cada região abrangida pelo Crea-PR, mulheres com história como a Engenheira Enedina”, pontua Karlize.

Quem foi Enedina Alves Marques

Clique no play e escute um pouco da história da engenheira enquanto lê a matéria:

enedina-obra-foto-crea-parana
Enedina (3ª da esquerda para direita) na construção da Usina Capivari-Cachoeira

Enedina Alves Marques foi a primeira mulher diplomada em Engenharia Civil na região Sul do Brasil, em 1945. A sua formatura foi marcada como um fato de grande curiosidade para a sociedade curitibana, por ter conseguido transpor um espaço hegemonicamente masculino e branco. Aos 32 anos, a curitibana Enedina foi o destaque na solenidade de formatura de Engenharia ao lado de 32 homens, no prédio Palácio Avenida, no Centro de Curitiba. “Se hoje é difícil a atuação de mulheres dentro da Engenharia, imagine naquela época (1945). Este prêmio foi uma forma de homenageá-la através do reconhecimento de outras engenheiras de história dentro do Paraná”, comenta Karlize.

Após formada, Enedina se tornou também a primeira engenheira negra do Brasil.

Conheça um pouco mais sobre a sua história em nosso site especial para a premiação.

Acesse a live realizada pelo Memória da Eletricidade sobre a primeira engenheira negra do Brasil:


Comentários

Nenhum comentário.

Deixe um comentário

Comentários com palavras de baixo calão ou que difamem a imagem do Conselho não serão aceitos.

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *